A Airbus já entregou mais de 160 unidades do A380; cada unidade da aeronave custa cerca de US$ 420 milhões (Foto - Airbus)

A Airbus já entregou 162 unidades do A380; cada aeronave custa cerca de US$ 420 milhões (Foto – Airbus)

Maior aeronave comercial do mundo, o Airbus A380 é uma das máquinas mais notáveis já criadas na história. Com 72 metros de comprimento e mais 80 m de envergadura, o quadrimotor pode decolar com 575 toneladas e voa por uma distância de até 15.700 km, ligando continentes com uma quantidade de passageiros que até então desafiava os limites da aviação: o aparelho pode ser configurado para transportar 853 ocupantes.

O desenvolvimento do A380, que possui fuselagem dividida em dois andares, foi como reinventar a forma de voar. Algumas das respostas para colocar o enorme jato no ar foram encontradas fora dos laboratórios e tuneis de vento: na natureza.


Foi no jato da Airbus que os “winglets”, pequenas haletas instadas nas pontas das asas, ficaram populares. O dispositivo aplicado no A380 foi inspirado no formato das asas de águias, que conseguem mais sustentação na ponta das asas com o auxílio de penas especiais. Com isso, a ave (e o avião) tem maior sustentação com uma área alar (área de asa) menor. Além dessa vantagem, o componente também reduz o nível de ruído e trepidação da aeronave.

Uma solução para reduzir o consumo de combustível da aeronave foi encontrada no fundo do mar. Algumas partes do A380 possuem uma supérficie com sulcos microscópicos que reduzem o arrasto aerodinâmico, como a pele do tubarão faz com a água. Com esse material o jato da Airbus poupa energia durante o deslocamento, exigindo menos dos motores. De acordo com o fabricante, a pintura especial reduz o consumo de querosene em até 1%.

O A380 imita elementos encontrados na natureza para encontrar formas mais eficientes de voar (Infográfico - Airbus)

O A380 imita elementos encontrados na natureza para encontrar formas mais eficientes de voar (Infográfico – Airbus)

A bordo do A380 existem materiais que reproduzem o “efeito lótus”. As folhas da planta que origina a flor de Lótus são naturalmente impermeáveis, mantendo-se sempre limpas. Um material semelhante a esse revestem os toaletes do jato, impedindo que a sujeira penetre e facilita a limpeza, que pode ser feita pouca com água. A Airbus também estuda formas de utilizar esse conceito nos carpetes e assentos da cabine e até em partes externas da aeronave.

Até borboletas voaram pelas pranchetas do A380. A asa da borboleta possui membranas que enrijecem ou relaxam, adaptando-se ao modo de voo. No enorme avião, a Airbus desenvolveu sistemas móveis em partes das asas que giram e torcem, imitando em parte o comportamento do inseto. Para as próximas gerações do “Super Jumbo”, a fabricante estuda formas de controlar melhor esses componentes, criando estruturas internas móveis. Com essa tecnologia, a Airbus espera melhorar o controle da aeronave e poupar combustível.

A380 pelo mundo

O enorme avião da Airbus é finalizado na fábrica de Toulouse, na França. Outras partes da aeronave são produzidas no Reino Unido, Alemanha e Espanha. Em 10 anos de produção, a empresa já entregou 162 unidades do A380. Cada unidade da aeronave custa cerca de US$ 428 milhões, sendo o avião comercial mais caro do mundo – o Boeing 747-800, principal concorrente do jato europeu, é avaliado em cerca de US$ 356 milhões.

Os principais operadores do A380 são companhias asiáticas, como A Singapore Airlines, que possui uma frota com 19 unidades na frota. Em seguida vem empresas do Oriente Médio, como Etihad e Emirates Airlines, maior utilizadora do modelo, com 64 unidades. Depois vem companhias europeias, que usam o jato principalmente em voos para países na Ásia.

A Singapore Airlines é o principal operador do A380, com 19 unidades na frota (Foto - Airbus)

A Singapore Airlines é o principal operador do A380, com 19 unidades na frota (Foto – Airbus)

A operação comercial do A380 no Brasil ainda depende de adaptações nos principais aeroportos que poderiam recebê-lo, no caso Cumbica, em São Paulo, e Galeão, no Rio de Janeiro. A América do Sul, aliás, é ainda o único destino para o qual a maior aeronave da Airbus ainda não voa.

A rota comercial mais curta do A380 é de Dubai para o Kuwait, com apenas 861 km, operado pela Emirates Airlines. Já a rota mais longa que d aeronave, que também é um dos voos comerciais mais longos do mundo, vai Sydney, na Austrália, até Dallas, percorrendo mais de 13 mil quilômetros pelo Oceano Pacífico.

Maior avião de passageiros do mundo

Apesar de gigantesco, o A380 ainda não é o maior avião do mundo. O jato da Airbus perde em comprimento para o novo Boeing 747-800, que tem 76,3 metros de uma ponta a outra. A aeronave do grupo europeu também é menor que o Antonov An-225, esse sim o atual maior avião em operação, com 84 metros de comprimento e capaz de decolar com 640 toneladas.

O A380, com sua fuselagem de dois andares, é o maior avião de passageiros do mundo, com uma capacidade para mais de 800 ocupantes. Essa configuração, no entanto, nunca foi escolhida por nenhuma das companhias que o operam. A aeronave é normalmente dividida em três classes, chegando a uma capacidade próxima de 500 assentos.

Galeria de Fotos:

Veja mais: Jatos expostos na Labace podem voar até a Rússia sem escalas