Airbus A380 estacionado no Terminal 3 do aeroporto de Guarulhos (Airbus)

Airbus A380 da Emirates Airline estacionado no Terminal 3 do aeroporto de Guarulhos (Airbus)

Quem pensou há um ano atrás que sobraria espaço no Airbus A380 da companhia aérea Emirates que voa entre São Paulo e Dubai errou feio. No final de março, o maior avião de passageiros do mundo completou seu primeiro ano de operações regulares no Brasil com mais de 276 mil passageiros transportados no período.

O Aeroporto Internacional de Guarulhos (São Paulo) foi o primeiro da América do Sul a receber voos regulares do A380 e o segundo da América Latina, depois do aeroporto da Cidade do México. O primeiro voo regular do avião gigante da Airbus chegou em São Paulo no dia 26 de março de 2017, cerca de dois meses após estrear no terminal mexicano com a Air France.



“Como a única companhia aérea que opera com o A380 na América do Sul, continuamos a entusiasmar nossos clientes e estabelecemos a referência para o conforto de viagem em voos comerciais. Desde a introdução do nosso emblemático A380 em São Paulo, aumentamos em 43% a nossa capacidade de passageiros, o que ilustra a forte demanda dos clientes e do mercado”, disse Hubert Frach, vice-presidente sênior de operações comerciais-oeste da Emirates.

Antes de utilizar o A380 entre Dubai e São Paulo, a Emirates operava o mesmo trecho com o bimotor Boeing 777 com espaço para cerca de 300 passageiros. Com a introdução do quadrimotor da Airbus a capacidade da companhia aumentou para 489 ocupantes e em seguida para 517, após a alteração do modelo utilizado no voo para o Brasil – a Emirates também opera uma versão do A380 capaz de transportar 615 passageiros.

“O A380 é a melhor solução para absorver o crescimento em mercados de rápido crescimento de tráfego aéreo como o Brasil, e é a solução sustentável para aliviar o congestionamento do tráfego aéreo, o impacto ambiental e a saturação em aeroportos de alto tráfego como o São Paulo-Guarulhos”, afirma Rafael Alonso, presidente da Airbus para a América Latina e Caribe.

O Aeroporto de Guarulhos teve de ser reformado para receber o Airbus A380 (Sergio Mazzi)

O Aeroporto de Guarulhos teve de ser reformado para receber o Airbus A380 (Sergio Mazzi)

A380 exigiu reformas em GRU

Operar o A380 não é uma tarefa simples, embora existam aeroportos no mundo que o recebam mesmo sem as pontes de embarque que acoplam na parte superior do avião. Além de ter uma envergadura (distância de ponta a ponta da asa) de 80 metros, o maior avião de passageiros do mundo exige que os terminais possuam esquemas de embarque e desembarque rápido, afinal é uma aeronave que transporta mais de 450 passageiros.

A pista e outras áreas do aeroporto, como pátios e pistas de táxi, também precisam ter espaço suficiente para que o gigante possa manobrar com segurança. Foi um detalhe assim que fez com que Guarulhos demorasse a receber a certificação para o aparelho, emitida pela ANAC em outubro de 2015. Como seus motores externos ficam muito mais distantes da fuselagem do que outros jatos, eles acabam fora dos limites da pista, podendo ingerir objetos que estão na vegetação que circunda o local de decolagem.

“Estamos felizes em comemorar o primeiro ano de operações do A380. A qualidade dos serviços da Emirates com o A380 foi reconhecida pelos passageiros que escolheram a companhia aérea como a primeira opção entre a América do Sul e o Oriente Médio. Isso é evidenciado pelo recente anúncio de um segundo voo da Emirates para São Paulo a partir de julho. A construção do Terminal 3, as melhorias na pista e a implementação de tecnologias foram alguns dos elementos essenciais para garantir a chegada da maior aeronave de passageiros do mundo”, diz Gustavo Figueiredo, presidente da concessionária GRU Airport.

Veja mais: Conheça os maiores aviões do mundo