Airbus A330-900neo da Air Senegal: jato já pode voar para por regiões distantes de aeroportos alternativos (Airbus)

A EASA, agência europeia de aviação, aprovou o A330-900neo para voos ETOPS (Extended-range Twin engine aircraft Operations, ou operações de alcance estendido para bimotores) com mais de 180 minutos e até 285 minutos. Com isso, o jato da Airbus poderá voar sem escalas para destinos transoceânicos ainda mais distantes, incrementando seu alcance em cerca de 3.700 km (2.000 milhas náuticas).

Agora a Airbus aguarda a respectiva certificação pelo FAA, dos Estados Unidos, o que deve ocorrer em breve, segundo a empresa.


A certificação ETOPS era uma condição chave para o A330neo que possa entregar o desempenho prometido a seus clientes. Versão aprimorada do A330, o novo jato widebody possui uma autonomia de 7.200 milhas náuticas (13.334 km) na versão -900 e de 8.150 milhas náuticas (15.094 km) na versão -800, que ainda está em testes.

Para as companhias aéreas que operam o jato isso significa “ser capaz de percorrer um caminho mais direto, rápido e eficiente em termos de combustível, e também ter acesso a mais – e possivelmente melhor equipados – aeroportos de desvio em rota, se necessário”, segundo a Airbus.

Equipado com novos motores Trent 700, da Rolls-Royce, e capaz de consumir 25% menos combustível que aviões similares mais antigos, o A330neo tem até o momento três unidades em serviço pela companhia aérea TAP, onde estreou nos voos entre Lisboa e São Paulo. No total, são 230 encomendas firmes, entre elas dois aviões para a Air Senegal (foto), cujo primeiro deles voou nesta semana.

This article in English.


A versão -900 do A330 pode voar por 13.334 km sem escalas (Airbus)

Veja também: Airbus bate recorde de entregas pelo 16º ano consecutivo