A Air Peace estreará o E195-E2 na África em 2020 (Embraer)

A Embraer anunciou neste domingo (17) durante o Dubai Air Show que a companhia aérea Air Peace, da Nigéria, ampliou sua encomenda firme do jato E195-E2. Anunciada em abril, a encomenda previa 10 aeronaves, mas agora a empresa acrescentou mais três unidades ao pedido firme.

Pelos preços atuais de lista, o pedido amplia o contrato em US$ 212,6 milhões (quase R$ 900 milhões) e passa a contemplar 13 E195-E2 além de 17 direitos de compra. O primeiro jato será entregue para a Air Peace no segundo trimestre de 2020.


“O E195-E2 é o avião perfeito para expandir nossas operações na África e esse novo pedido é mais uma confirmação de nossa iniciativa de cobrir o maior número possível de cidades que continuaremos a executar”, disse o CEO da Air Peace, Allen Onyema. “Estamos recebendo dados impressionantes sobre o desempenho operacional da aeronave, que está em serviço gerando receita, e esse foi um fator determinante para fazer esse novo pedido firme à Embraer. Estamos ansiosos para receber nossa primeira aeronave, que melhorará a conectividade na Nigéria e na região, além de operar voos de longo alcance a partir do nosso hub em Lagos”.

“A Air Peace apreciará a eficiência da aeronave e o passageiro experimentará um nível de conforto incomparável, especialmente na primeira classe – a Air Peace é o cliente de lançamento da nova opção de assentos escalonados premium da Embraer”, disse Raul Villaron, Diretor de Vendas para Oriente Médio e África, Embraer Aviação Comercial. “Estamos ansiosos para dar suporte à crescente frota de E2 da Air Peace e aprofundar nossa profícua parceria”.

A Air Peace passou a utilizar aviões da Embraer em 2018 quando introduziu seis ERJ145 em suas rotas regionais. A fabricante brasileira considera essa experiência essencial para ter fechado negócio pelos novos aviões.

Ejiroghene Eghagha, Vice-Presidente Executiva Financeira da Air Peace, e John Slattery, Presidente e CEO, Embraer Aviação Comercial (Embraer)

Frota mista

A Air Peace foi fundada em 2013 e tem sede em Lagos. Atualmente, a companhia aérea de capital privado oferece voos domésticos na Nigéria e também em alguns países vizinhos.

Sua frota é bastante heterogênea, com um misto de 737 clássicos e três 777 antigos além de um único Do328 – sem contar os seis ERJ145. A companhia aérea tem tentado padronizar e modernizar seus aviões e para isso encomendo 10 Boeing 737 MAX que estão retidos por conta do aterramento.

Com o E195-E2, que será configurado em duas classes e 124 assentos, a Air Peace deverá substituir boa parte dessas aeronaves menos eficientes.

Contagem regressiva

O acréscimo de três E195-E2 à encomenda da Air Peace ocorre dias depois que a KLM confirmou seu pedido do mesmo modelo. No entanto, as aeronaves que serão operadas pela companhia aérea holandesa serão arrendadas de duas empresas de leasing que já haviam encomendado o jato da Embraer.

Espera-se que nos próximos meses os pedidos da família E2 sejam ampliados à medida que a joint venture com a Boeing toma forma. A partir de 2020, a divisão de aviões comerciais da Embraer já estará separada dos demais negócios da empresa brasileira. A expectativa é que até março a nova empresa – Boeing Brasil Commercial – passe a existir de fato e com isso seu plano de negócios deverá ser apresentado ao mercado.

A frota da Air Peace atualmente é formada por aviões com idade avançada (Anna Zvereva)

Veja também: Parceria entre Embraer e Boeing deve ser concluída somente em março de 2020