O A380 com matrícula F-HPJB foi recebido pela Air France em fevereiro de 2010 (BriYYZ)

A companhia Air France desativou seu primeiro Airbus A380 no último sábado (23). O voo comercial de despedida da aeronave foi na rota entre Paris e Joanesburgo, na África do Sul. Em seguida, o avião retornou a Europa rumo a Malta, onde será descaracterizado e devolvido ao seu locador, o grupo alemão Dr. Peters.

O jato aposentado pela empresa francesa, o modelo com matrícula F-HPJB, foi fabricado pela Airbus em 2009 e entregue em fevereiro de 2010. O aparelho foi o segundo “superjumbo” incorporado pela Air France, que planeja desativar todos os seus 10 modelos A380 até 2022.


A companhia vai substituir gradualmente seus A380 pelo A350, aeronave mais eficiente e com interior atualizado. A Air France vem se esforçando para reduzir seus custos com combustível e também oferecer cabines com recursos mais modernos.

A Air France é a segunda companhia aérea que desativa o A380. Antes dela, a Singapore Airlines já havia devolvido outras quatro aeronaves que também pertenciam à empresa de leasing Dr. Peters. Desses aviões, um já foi desmontado e outro será submetido ao mesmo processo, enquanto um terceiro modelo está armazenado e o quarto ganhou sobrevida com a empresa de wet-lease Hi-Fly.

Outras transportadoras que também planejam aposentar parte de seus A380 nos próximos anos são a Lufthansa e a Qatar Airways.

Apesar de sua incomum capacidade de passageiros e atração nos aeroportos onde opera, o A380 vem sendo condenado por suas dificuldades operacionais, altos custos e o surgimento de jatos menores e mais eficientes, casos do Boeing 787 e o Airbus A350.

No início deste ano, a Airbus anunciou que o programa A380 será encerrado em 2021. A decisão foi tomada após a Emirates Airline, maior operador da série, cancelar 39 pedidos restantes pela aeronave. A fabricante europeia ainda tem 11 encomendas pela aeronave, 10 para Emirates e um para a All Nippon Airways.

Veja mais: Boeing apresenta o MAX 10, o maior 737 da história