A330 da Aigle Azur: companhia suspendeu venda de passagens para o Brasil (Rafalflash)

Na semana em que teve sua situação financeira exposta pelo jornal Le Figaro, a companhia aérea Aigle Azur retirou o voo entre Paris e Viracopos da lista de destinos ativos. No site da empresa não é possível mais comprar bilhetes para a rota para o Brasil. De acordo com o site Routes Online, a empresa só aceitava reservas para os voos até o dia 9 de setembro.

Em nota enviada ao Airway, a empresa afirmou que “os voos da Aigle Azur operarão normalmente neste Verão (Inverno no Brasil) e que uma data precisa para a suspensão dos voos será comunicada posteriormente”.


Atualmente, a Aigle Azur voa quatro vezes por semana entre o aeroporto de Campinas e Orly, em Paris, com duas aeronaves Airbus A330-200 alugadas. No entanto, a companhia aérea estaria em sérias dificuldades financeiras, tendo devolvido um dos seus nove A320 em junho. Ela tem utilizado aviões da TAP alugados para cobrir alguns trechos com falta de equipamento.

O Le Figaro afirmou em nota nesta quarta-feira que a companhia está com os aluguéis de seus aviões atrasados além de outras dívidas com fornecedores. Com 25 destinos e um total de 1.400 funcionários, a Aigle Azur tem sua malha concentrada no norte da África, mas também voa para Portugal, Rússia, Ucrânia, Líbano e Mali, única rota onde o A330 é usado como no Brasil.

Fundada em 1946, a empresa é considerada a companhia aérea privada mais antiga da Europa. Já teve diversos donos, mas hoje tem como principal acionista o grupo chinês HNA e desde 2017 David Neeleman, fundador da Azul. Foi a partir da chegada do empresário que a Aigle Azur ampliou alguns destinos incluindo o Brasil, sua única rota transoceânica.

Única estrangeira em Viracopos


O voo entre Viracopos e Orly estreou em julho do ano passado com três frequências semanais e code share com a Azul. No começo deste ano, uma quarta frequência foi acrescentada, mas em abril a companhia aérea brasileira desistiu da parceria, lançando sinais de dúvida sobre o futuro do voo.

No mês passado, a companhia aérea, a segunda em tamanho na França, atrás apenas da Air France, comemorou o primeiro ano do voo para o Brasil. Segundo a Aigle Azur, foram transportados nesse período 93 mil passageiros, dos quais 40% seguiram viagem para destinos operados pela Azul.

A Aigle Azur é hoje a única companhia aérea estrangeira a operar voos de passageiros em Campinas, após a saída de empresas como TAP, American Airlines e Copa.

Nota atualizada em 08 de agosto às 13h30 para inclusão da resposta da Aigle Azur.

A Aigle Azur teve de devolver um A320 arrendado em junho por falta de pagamento (Pedro Aragão)

Veja também: Viracopos vê movimento internacional crescer nos últimos meses