Controlador do DECEA na cabine do avião com um piloto da Gol (DECEA)

Acostumados a trabalhar em salas com computadores que acompanham a movimentação de aeronaves pelo Brasil e passar orientações, os controladores de tráfego aéreo do DECEA (Departamento de Controle do Espaço Aéreo) terão a oportunidade de ver in loco como os pilotos recebem seus contatos de rádio durante os voos.

No final de agosto, o DECEA retomou a execução de um acordo operacional para voos de familiarização em cabine de aeronaves para controladores de tráfego aéreo. Nas primeiras viagens, dois controladores da organização voaram em trechos de ida e volta entre o Rio de Janeiro e São Paulo dentro da cabine com os pilotos.


O Acordo de Cooperação Operacional está previsto na Circular Normativa de Controle do Espaço Aéreo – CIRCEA 100-80. Segundo o DECEA, o objetivo do programa é proporcionar o intercâmbio entre controladores e pilotos, por meio do contato direto, da ampliação do conhecimento sobre as aeronaves e dos serviços de tráfego aéreo prestados em todas as fases de um voo.

“Essa iniciativa aproxima os controladores de nossos clientes diretos, gera sinergia e entendimento mútuo do sistema, proporcionando melhoria na prestação do serviço e na segurança das operações nas duas principais terminais do país”, afirma o chefe da Divisão de Operações do Serviço Regional de Proteção ao Voo de São Paulo (SRPV-SP) tenente-coronel Chrystian Alex Scherk Ciccacio.

Controladores na cabine do avião

Os primeiros voos foram realizados pelos controladores sargentos William Luiz Cerqueira da Rosa e Joyce de Oliveira Mendonça Barreto, ambos em aeronaves da Gol, nos dias 21 e 23 de agosto.


O comandante da Gol Augusto da Fonseca Viana pilotou a aeronave do voo de retorno do sargento William e destacou a importância da troca de experiências com os controladores. “É muito importante para cada um conhecer melhor o lado do outro. Para nós é uma oportunidade de demonstrar ao controlador nossa situação na hora de reduzir, na hora de descer, na hora de acelerar o avião, demonstrar em voo os impactos e as relações com a performance da aeronave.”

(Thiago Vinholes)

Os controladores também visitaram os órgãos de controle em seus destinos (Thiago Vinholes)

Cada voo é realizado com um controlador no interior da cabine de uma aeronave comercial. As rotas e as etapas de voo são previamente estabelecidas em função do setor de atuação do controlador e, preferencialmente, nos horários de maior movimento.

Após o retorno, cada controlador entrega um relatório de verificação final. Nele são relatadas informações referentes aos procedimentos executados por controladores e pilotos nas fases de acionamento dos motores, autorização de tráfego, táxi, decolagem, voo em rota, descida e pouso.

“Da cabine, pude observar a execução dos procedimentos de navegação aérea na perspectiva da performance da aeronave – ajustes de velocidade, sequenciamento, separações de voo. É uma experiência que nem todos os controladores terão a oportunidade de ter, mas que é muito eficiente para o aprimoramento da coordenação piloto-controlador”, afirmou William, controlador de tráfego aéreo do Destacamento de Controle de Tráfego Aéreo do Galeão (DTCEA-GL).

Veja mais: Helibras apresenta primeiro H135 da Marinha do Brasil