A Zunum planeja aviões elétricos com capacidades que poderão variar de 10 a 50 passageiros (Divulgação)

A Zunum planeja aviões elétricos com capacidades que poderão variar de 10 a 50 passageiros (Divulgação)

Da mesma forma que a Tesla Motors iniciou uma revolução na indústria automobilística com o carro elétrico Model S, a Zunum Aero pretende mudar o mundo da aviação comercial. A nova empresa startup, baseada em Kirkland, em Washington, nos Estados Unidos, lidera hoje o que pode ser considerado o desenvolvimento mais importante de aviões elétricos projetados para o transporte de passageiros.

A empresa foi formada em 2014 por um grupo de engenheiros e pilotos de Washington, mas somente neste ano revelou suas intenções. Apesar de desconhecida, em pouquíssimo tempo a Zunum já conseguiu atrair investimentos da Boeing e da companhia aérea JetBlue Airways. Outra importante ajuda vem do governo dos EUA, que já destinou US$ 800 mil à startup por meio do Fundo de Energia Limpa (Clean Energy Fund) para que os planos do grupo saiam do papel.

O plano da Zunum Aero é desenvolver uma série de aeronaves com motorização elétrica para atuar do segmento de aviação regional, trazendo novos conceitos de simplicidade operacional e eficiência para companhias aéreas. Até 2020, a empresa planeja iniciar os testes com uma aeronave para 10 passageiros com propulsão híbrida ou movida somente por eletricidade.

Mais adiante, conforme avanços forem alcançados, a empresa também planeja lançar aeronaves com capacidades que poderão variar de 19 a 50 ocupantes, com alcance de até 1.600 km.

Segundo o grupo, aviões elétricos podem reduzir significativamente os níveis de emissões de poluentes, em especial no segmento de voos regionais, que segundo estimativas da Zunum é responsável por 40% de todo o volume de poluição gerada na aviação. Já o nível de ruídos pode ser reduzido em 75%.

Outra vantagem dos aviões elétricos é possibilidade de oferecer aos passageiros passagens aéreas mais baratas, uma vez que os custos operacionais da aeronave serão muito menores comparados aos de aviões convencionais, com motores a combustão. A Zunum estima que bilhetes de ida e volta poderão ser oferecidos por menos de US$ 100 (cerca de R$ 325).

Os primeiros testes de voo de Zunum estão programados para 2020 (Divulgação)

Os primeiros testes de voo de Zunum estão programados para 2020 (Divulgação)

Apesar da empresa ter planos de iniciar voos de testes nos próximos anos, utilizando um avião atual adaptado com motores alternativos, a aeronave comercial elétrica deve se tornar realidade no mercado somente após a década de 2030. Qualquer projeto levado a cabo pela Zunum vai exigir longos períodos de avaliação e uma minuciosa inspeção e supervisão de órgãos aeronáuticos, que darão ou não aval para esses voos com passageiros.

Mesmo com uma série de desafios futuros, a startup já conta com uma base sólida de investidores e está entrando no mercado em um momento em que veículos elétricos estão ganhando cada vez mais força. A exemplo da Tesla, que hoje é mais valiosa que a Ford, a Zunum Aero algum dia pode valer mais que a Boeing…

Veja mais: Primeiro jato comercial chinês recebe luz verde para produção