Airbus A318 da Avianca

Airbus A318 da Avianca

Viajar de Avianca é como voar na TAM de uma década atrás: a tripulação é solícita e bem-humorada, há serviço de bordo, poltronas de couro (em algumas aeronaves) e entretenimento individual, algo que ainda não existe em voos nacionais da companhia do falecido Cmte. Rolim.

Airway avaliou a empresa em sua ‘Hiper Ponte’, ligação entre Congonhas e Santos Dumont, hoje dominada pelas rivais TAM e Gol. A experiência foi positiva, embora irregular na ida e na volta. Mas a empresa, que entrou para a Star Alliance recentemente, é uma ótima opção para quem viaja entre as duas maiores cidades do país.

Ida

O voo de ida, O66034, decolou examente no horário de Congonhas. A aeronave da ida foi o A318, menor versão do jato da Airbus. Embora tenha poltronas de couro, o PR-AVL não dispunha de entretenimento individual (apenas telas coletivas) nem mesmo revistas de bordo.

O espaço interno é muito bom, com nota A da ANAC. São 77,4 cm de pitch (distância entre fileiras) e 51 cm de largura nas poltronas. A tripulação foi bastante atenciosa e educada e serviu um lanche frio com muffin de sobremesa, além de sucos e refrigerantes no curto tempo de serviço. Chamou a atenção a ausência de guardanapo, só entregue ao ser solicitado.

Desembarcamos numa posição remota e logo chegamos ao saguão. A empresa oferece o check-in online muito eficiente e que envia o cartão de embarque via e-mail e que pode ser carregado no ‘passbook’ do iPhone, algo muito prático e descomplicado.

Volta

Se o voo ao Rio foi pontual a volta atrasou cerca de 30 minutos. O avião não havia chegado na hora do embarque, mas a Avianca agilizou a preparação e minimizou um pouco o tempo perdido.

O avião da volta, um A319 PR-AVB, tem interior diferente do A318 e mais próximo da proposta da empresa. Há monitores individuais nos assentos, mas acabamento em tecido. O aspecto geral era melhor que o do avião da ida.

A poltrona também possui entrada USB, embora não exista Wi-Fi a bordo. Assim como o A318, também este aparelho possui banheiros apenas no fundo da aeronave. Apesar do tamanho reduzido, é uma dificuldade para quem viaja na frente.

O voo contou com revistas a bordo e lanche quente já que voamos por volta da hora do almoço. A tripulação foi apenas correta, com exceção do comandante, bastante educado e polido em seu ‘speech’.

O espaço no A319 é mais estreito entre as poltronas (76,4 cm), mas mais largo, com 52 cm – informação da ANAC.

Veredicto

Se a Gol apenas agora promete melhorar o serviço a bordo e os equipamentos de seus aviões, a Avianca já faz isso e com o diferencial da simpatia da tripulação, algo que não basta apenas investimento.

Quesito Descrição Pontuação
Aeronave Airbus A318 PR-AVL
Tripulação Cortês e atenciosa
Serviço de bordo Lanche frio, sucos e refrigerantes
Entretenimento Sem monitores individuais e revistas
Conforto Nota A da ANAC (pitch de 77,4 cm e largura da poltrona de 50 cm), bancos de couro
Pontualidade Decolagem e pouso no horário
Banheiros No fundo da aeronave
Check-in Online com cartão virtual
Conservação da aeronave Razoável, com partes desgastadas e telas que não recolhiam
Nota geral Voo Avianca O66034 – São Paulo-Rio

 

Quesito Descrição Pontuação
Aeronave Airbus A319 PR-AVB
Tripulação Apenas o esperado, com exceção do comandante, educado
Serviço de bordo Lanche quente, sucos e refrigerantes
Entretenimento Monitores individuais e revistas
Conforto Nota A da ANAC (pitch de 76,4 cm e largura da poltrona de 51 cm), bancos de couro
Pontualidade Decolagem atrasada por pouso tardio da aeronave antes de assumir nosso voo
Banheiros No fundo da aeronave
Check-in Online com cartão virtual
Conservação da aeronave Boa
Nota geral Voo Avianca O6007 – Rio-São Paulo

Veja também: a primeira viagem do novo Boeing 737-800 da Gol