A TAM operou com 12 jatos Airbus A330 nos últimos 18 anos (Tam)

A TAM operou com 12 jatos Airbus A330 nos últimos 18 anos (Tam)

O aeroporto internacional de Guarulhos (Cumbica), em São Paulo, recebeu nessa segunda-feira (3) o último voo comercial de uma aeronave Airbus A330 da companhia aérea Tam. A operação foi realizada pelo modelo com prefixo PT-MVQ, adquirido pela empresa em 2008, que cumpriu a rota Cidade do México – São Paulo.

O A330 foi a aeronave que inaugurou as rotas internacionais de longo curso da Tam, em 1998. Ao todo, a empresa contou com 12 aparelhos desse tipo (todos modelos A330-200) em quase 18 anos de operação. A companhia ainda vai manter o jato da Airbus na “reserva” por mais alguns meses e ele poderá ser acionado excepcionalmente em casos de necessidade.

Os jatos desativados serão substituídos pelos novos Airbus A350 XWB e também por modelos Boeing 787, já como parte da reformulação prevista pelo Grupo Latam Airlines, que reúne a Tam e Lan Chile – nos próximos anos, aeronaves das suas empresas vão compartilhar a mesma identidade visual e o nome Latam Airlines.

De volta ao passado

Os dois primeiros A330 da TAM (PT-MVA e PT-MVB) chegaram ao Brasil em novembro de 1998 com direito a festa em Congonhas que contou com a participação de convidados e funcionários da empresa. E o Airway também estava lá!

Imagem do dia quando os dois primeiros A330 da Tam chegaram a São Paulo (Airway)

Imagem do dia quando os dois primeiros A330 da Tam pousaram a São Paulo (Airway)

Literalmente, o aeroporto parou porque não pousavam aviões desse porte lá desde a transferência dos voos internacionais para Guarulhos em agosto de 1985.

Como sempre, o Comandante Rolim, fundador da Tam, quis inovar e batizou os aviões de “The Magic Red Carpet”, em referência ao tapete vermelho que era estendido nas portas das aeronaves da empresa. A pintura era uma nova versão da anterior, com a cauda azul e durou pouco tempo. No evento, Rolim trouxe até padres para benzer os dois jatos da Airbus

Comandante Rolim celebra a chegada dos A330, em 1998 (Airway)

Comandante Rolim (de braços erguidos) celebra a chegada do A330, em 1998 (Airway)

Quando chegou ao país, o A330 trazia como novidade telas individuais nos assentos e a companhia se esmerava em oferecer um serviço de bordo diferenciado, assim como ocorria nos voos locais. Rolim, no entanto, morreu menos de dois anos depois e não pode ver a Tam tornar-se a maior empresa brasileira a voar para o exterior.

Galeria de fotos:

Veja mais: Fokker 100 se despede do Brasil