A primeiras unidades do novo caça Gripen NG devem ser incorporadas a FAB a partir de 2019 (Imagem - Saab)

A primeiras unidades do novo caça Gripen NG devem ser incorporadas a FAB a partir de 2019 (SAAB)

Um grupo de 46 engenheiros e técnicos brasileiros serão enviados a Suécia neste mês para trabalhar, a partir de 19 de outubro, no desenvolvimento do novo caça SAAB Gripen NG, aeronave que vai equipar a Força Aérea Brasileira (FAB) a partir de 2019. Os profissionais envolvidos são funcionários da Embraer e AEL Sistemas, de Porto Alegre (RS) e vão trabalhar durante um ano no país.

O envio de profissionais brasileiros às instalações da SAAB está prevista em contrato. Esses engenheiros e técnicos serão responsáveis por efetivar a transferência de tecnologia do caça para o Brasil, coordenada pela Embraer.

“Este importante acontecimento marca o início formal do programa Gripen NG brasileiro. Agora vamos trabalhar a toda velocidade para garantir as entregas no prazo determinado”, afirmou Häkan Buskhe, presidente e CEO da Saab, em comunicado.

Até 2020, a Embraer planeja enviar 280 funcionários a Suécia, dividos em grupos sazonais. O contrato efetuado entre os países prevê a aquisição de 36 caças, sendo que parte deles serão fabricados pela Embraer, em Gavião Peixoto (SP) – o Gripen NG será o primeiro avião supersônico produzido no Brasil.

A Embraer também será responsável pelo desenvolvimento completo do Gripen NG na versão para dois pilotos.

O Gripen NG poderá carregar armas inteligentes e voar a mais de 2.200 km/h (Flygvapnet)

O Gripen NG poderá carregar armas inteligentes e voar a mais de 2.200 km/h (Flygvapnet)

A AEL Sistemas, por sua vez, vai participar do projeto desenvolvendo sistemas aviônicos, visor frontal (HUD) capacete com visor e display eletrônico do painel de instrumentos (WAD).

O contrato de compra dos novos caças da FAB vai custar ao governo brasileiro US$ 4,7 bilhões, dos quais US$ 245,3 milhão serão destinados a compra de armamentos especifícos para os novos jatos.

Gripen NG

O Gripen NG é uma aeronave de combate multimissão, capaz de realizar operações de bombardeio ou combate aéreo. No Brasil, o caça sueco será responsável por preencher uma lacuna deixada pelos Mirage 2000, aposentados em 2013. Desde então, a tarefa de defesa aérea ficou destinada aos F-5, que tem performance limitada comparado ao Gripen.

O Gripen C/D é diferente da versão "NG", que será entregue a FAB a partir de 2019 (Foto - Força Aérea da Suécia)

O Gripen C/D é diferente da versão “NG”, que será entregue a FAB a partir de 2019 (Foto – Força Aérea da Suécia)

O avião que o Brasil comprou é a versão mais recente do Gripen. O aparelho ainda não voou, mas já é considerado um dos mais avançados do mundo e com uma boa relação de custo e benefício. Segundo o fabricante, a aeronave poderá voar a mais de 2.200 km/h e poderá lançar mísseis de longo alcance, capazes de deter a ameaças antes mesmo do contato visual.

A SAAB também trabalha em uma versão naval do Gripen NG, para ser utilizada em porta-aviões. Essa opção foi elaborada justamente para chamar a atenção da Marinha Brasileira, que atualmente está realizando uma reforma completa no navio aeródromo NAe São Paulo para voltar ao mar na próxima década.

Veja mais: Oficiais da FAB aprendem a pilotar o Gripen na Suécia