O temível bombardeiro russo Tu-160 pode voar a mais de 2.200 km/h (Divulgação)

O temível bombardeiro russo Tu-160 pode voar a mais de 2.200 km/h (Divulgação)

A indústria da Rússia iniciou neste mês os primeiros processos para a retomada da produção do bombardeiro estratégico Tupolev Tu-160 em versão atualizada, informou a agência TASS. O protótipo da nova série, conhecida pela sigla Tu-160M2, está programado para voar em 2018, ao passo que a produção em série começa em 2020.

Segundo declarações do ministro da defesa da Rússia, Sergei Shoigu, os motores e alguns dos principais elementos estruturais da aeronave já foram construídos. Como aponta a mídia russa, o plano do país é fabricar de 30 a 50 unidades do novo Tu-160, número muito superior a frota ativa atual, que possui apenas 16 aparelhos.

A retomada da produção do grande bombardeiro foi iniciada por conta de um decreto assinado pelo presidente russo Vladimir Putin, em fevereiro do ano passado. A nova versão da aeronave será produzida pela United Aircraft Corporation, grupo que dirige a Tupolev, na unidade de Kazan.

Além de produzir mais aviões, todos os bombardeiro Tu-160 em serviço com a força aérea da Russa serão modernizados para o novo padrão, notícia confirmada pelo vice-ministro de defesa russo, Yuri Borisov.

Segundo a mídia russa, o Tu-160M2 será mais rápido e, com motores mais econômicos, terá a autonomia de voo ampliada em 1.000 km, comparado ao modelo atual.

O temido Blackjack

O Tu-160 foi uma das últimas criações militares da época da União Soviética. O primeiro voo do bombardeiro foi realizado em 1981 e até a queda do regime soviético, em 1991, pouco se sabia sobre a aeronave, que é chamada pela OTAN pelo codinome “Blackjack”.

O Tupolev Tu-160 é operado por 4 tripulantes (Divulgação)

O Tu-160 é operado por 4 tripulantes: piloto, co-piloto, bombardeiro e operador de sistemas de defesa (Divulgação)

A aeronave de 50,10 metros de comprimento e incríveis 275.000 kg chama atenção pela asas de geometria variável, com ângulos de abertura que variam de 20° a 65°. Já a impulsão vem de quatro motores a jato com pós-combustores, capazes de levar o bombardeiro a velocidade máxima de 2.200 km/h, mais de duas vezes a velocidade do som.

A principal tarefa do Tu-160 em combate é a de plataforma de mísseis de cruzeiro que podem conter ogivas convencionais ou nucleares. A aeronave ainda conta com um porão capaz de transportar até 40 toneladas de armamentos.

O bombardeiro russo também pode ser reabastecido em voo, o que permite realizar ataques em qualquer parte do mundo. Em regime econômico, a cerca de 800 km/h, o Tu-160 pode percorrer 12.300 km sem precisar do auxílio de aviões-tanque.

A estreia em combate do Tu-160 aconteceu recentemente. A Rússia utilizou a aeronave em bombardeiros contra posições terroristas na Síria, em 2015.

Veja mais: Portugal inicia processo de compra do KC-390