O Jetstar que pertenceu a Elvis Presley aguarda alguma solução para seu futuro em Roswell

O Jetstar que pertenceu a Elvis Presley aguarda alguma solução para seu futuro em Roswell – foto reprodução Smithsonian Channel

Os cemitérios de aviões nos Estados Unidos são implacáveis com qualquer aeronave que tem esses locais como destino final. Estripados, fatiados, amassados e transformados em blocos de alumínio retorcido para reciclagem, o fim dessas máquinas é muitas vezes triste.

Mas houve um avião que escapou das garras destruidoras do cemitério no deserto de Roswell, no Novo México. Um Lockheed Jetstar JT 12-5 que perteceu a Elvis Presley foi poupado das lâminas desde que chegou ao local na década de 1990, ainda voando, e por lá ficou, sempre no final da fila para ser reciclado.

O Jetstar foi comprado por Elvis em 1975 e foi nomeado como “Hound Dog”, o mesmo nome de uma das músicas mais famosas do “rei”. O aparelho foi comprado novo e custou cerca de US$ 900 mil, uma bagatela para época. Não só isso, o músico ainda personalizou o jato ao seu estilo, com pintura externa vermelha e um interior com decoração extravagante, com direito a banheiro com acabamento com itens de ouro, e assentos para até 10 passageiros.

Apesar do estado, o avião não está abandonado. O Hound Dog pertence desde 2000 a um polonês que reside nos EUA. Os quatro motores foram retirados para serem usados em outros aviões, mas o restante permaneceu intacto. O modelo, aliás, nunca foi restaurado e mantém todas as características originais escolhidas por Elvis.

Uma notícia de 2002 publicada pelo Roswell Daily Record, em uma das raras informações sobre o avião na internet, pessoas próximas ao proprietário do modelo diziam que ele tinha planos de movê-lo para o Tennessee e reformá-lo. Nada disso aconteceu e desde então não se teve mais notícias sobre o futuro do Hound Dog, que permanece no mesmo lugar.

Elvis desembarcando do Lisa Marie, um Convair 880

Elvis desembarcando do Lisa Marie, um Convair 880

Os aviões de Elvis

O Jetstar esquecido em Roswell não foi o único avião do rei do rock. Em 1975, mesmo ano que comprou o Hound Dog, Elvis adquiriu uma coleção de aviões. O plano original era comprar um Boeing 707 usado, mas o dono da aeronave escolhida estava envolvido em supostos crimes. Com a compra do Boeing cancelada, o músico alugou um Fokker F-27.

E pelo visto ele gostou de voar por meios próprios. No mês seguinte já retirou o F-27 de cena e comprou dois jatos executivos, um Gulfstream G1 e um Dessault Falcon. E não parou por aí…

Elvis queria um avião maior. A solução veio com a compra de um Convair 880 que pertencia a Delta Airlines. Esse avião foi customizado, com pintura especial, e o interior ganhou novos ambientes, incluindo um quarto com cama de casal e uma sala com uma grande mesa no centro. Esse avião foi o primeiro da frota de Elvis a ganhar nome, Lisa Marie. Em seguida veio o Houd Dog.

Outros membros da família Presley e pessoas próximas ao músico também pegavam carona nesse aviões, com ou sem Elvis a bordo. Com tantos “passageiros”, o rei do rock comprou mais um Lockheed Jetstar, o Hound Dog II.

O Lisa Marie e o Hound Dog II foram os únicos aviões de Elvis que sobreviveram ao tempo preservados. A dupla está exposta no museu em homenagem ao músico, em Graceland, nos EUA.

O outro Jetstar de Elvis, o "Hound Dog II", está exposto em Graceland

O outro Jetstar de Elvis, o “Hound Dog II”, está exposto em Graceland