O Beluga XL está sendo fabricado em Toulouse, na França (Airbus)

O Beluga XL está sendo fabricado em Toulouse, na França (Airbus)

O novo Airbus Beluga XL começou a tomar forma. A fabricante divulgou recentemente as primeiras imagens da estrutura e componentes da aeronave, que é baseada no A330-200, em fase de montagem. Segundo a empresa, o conjunto está em processo de integração, processo que deve ser concluído em cerca de 18 meses, na fábrica em Toulouse, na França.

O Beluga XL será o sucessor do atual Beluga ST (Super Transporter), o exótico jato de carga que a Airbus utiliza para transportar componentes de aeronaves em fase de construção entre suas fábricas pela Europa. No novo aparelho, a fabricante afirma que a capacidade de transportar cargas será ampliada em 30%, comparado ao modelo atual, baseado no antigo A300.

Como explicou a Airbus, a fuselagem central do Beluga XL já teve a estrutura reforçada e o nariz e a cauda serão construídos neste ano. Essas duas partes, como no Beluga ST, são justamente às partes com formatos mais diferentes e complexos. Também está programado para este ano a instalação do sistema elétrico e motores.

“O próximo ano de integração final será uma série de pequenos passos”, disse o chefe do programa Beluga XL, Bertrand George. “O número de furos a serem perfurados e fixadores a serem instalados é muito maior do que em qualquer outro avião da Airbus. Seguir o cronograma em cada etapa é a chave para estar pronto para o primeiro voo em 2018”, completou.

O novo Beluga terá capacidade para transportar dois conjuntos de asas do A350 (Airbus)

O novo Beluga terá capacidade para transportar dois conjuntos de asas do A350 (Airbus)

A Airbus planeja fabricar um total de cinco Beluga XL, com o primeiro entrando em operação a partir de 2019. De acordo com a fabricante, os novos modelos vão substituir gradualmente a frota de Beluga ST, também composta por cinco aeronaves, em serviço desde 1995.

Veja mais: Aviões civis convocados para o serviço militar