O novo jato comercial Embraer E190-E2 vai estrear em voos comerciais em 2018 (Embraer)

O novo jato comercial Embraer E190-E2 vai estrear em voos comerciais em 2018 (Embraer)

O novo motor que equipa os jatos comerciais de nova geração Embraer E190-E2 e E195-E2 recebeu nesta semana a certificação da FAA, a agência regulatória de aviação civil dos Estados Unidos. O propulsor é o PW1900G “Pure Power”, fabricado pela Pratt & Whitney, nos EUA.

“A validação pela FAA do motor PW1900G é um ponto chave no programa de desenvolvimento” disse Chris Calion, presidente da divisão de motores para aeronaves comerciais da Pratt & Whitney. “Este motor tem um empuxo de 23 mil libras (ou 10.433 kg) e atualmente está instalado em cinco aeronaves de testes, tendo completado mais de 900 horas de voo”, completou.

Segundo comunicado da fabricante, o programa de certificação do PW1900G foi realizado em cerca de 18 meses. O atestado da agência reguladora é necessário para liberar a produção em série do motor e seu uso em aeronaves com fins comerciais. Além de equipar os novos aviões da Embraer, esse mesmo modelo de motorização impulsiona os jatos MRJ, da Mitsubishi.

O motor turbofan PW1900G é o quarto modelo da família Pure Power certificado pela FAA. O primeiro foi o 1100G, utilizado no Airbus A320neo, seguido do 1500G, que impulsiona as aeronaves Bombardier CSeries. Já o terceiro foi o modelo 1400G, usado no jato russo Irkut MC-21, que decolou pela primeira vez nesta semana.

O Embraer E175-E2, o menor modelo da nova geração E2, também será impulsionado por um motor Pure Power, o 1700G. Essa opção deve ser certificada poucos antes da estreia da aeronave, prevista para 2021.

O MRJ90 da Mitsubishi também é equipado com o motor PW1900G (Divulgação)

O MRJ90 da Mitsubishi também é equipado com o motor PW1900G (Divulgação)

O principal atrativo dessa nova série de motores da Pratt & Whitney é a economia de combustível de até 16% em relação aos modelos da geração anterior.

O novo E190-E2 está programado para estrear no primeiro semestre de 2018, com a companhia Winderøe, da Noruega. Já o E195-E2 vai estrear com a Azul, em 2019.

Veja mais: Força aérea dos EUA vai avaliar o Super Tucano