O dirigível gigante Airlander 10 vem sendo desenvolvido pela HAV desde 2013 (HAV)

O dirigível gigante Airlander 10 vem sendo desenvolvido pela HAV desde 2013 (HAV)

A maior máquina voadora da atualidade, o enorme dirigível Airlander 10,voltou a voar nessa quarta-feira (10). O aparelho não voava desde agosto do ano passado, quando sofreu um acidente durante seu segundo voo de teste. O novo voo, realizado no norte de Londres, na Inglaterra, durou quase três horas e foi realizado sem nenhum contratempo.

Segundo a Hybrid Air Vehicles (HAV), que trabalha no projeto desde 2013, o novo voo serviu para colher dados sobre o manuseio da aeronave, velocidade aerodinâmica e o funcionamento dos sistemas de bordo. A empresa também testou um novo sistema de ancoragem para o dirigível gigante, mais fácil e seguro de manusear

Para evitar acidentes como o ocorrido em 2016, a fabricante do dirigível desenvolveu um novo sistema auxiliar para pouso, que consiste em duas bolsas infláveis gigantes da parte inferior da aeronave, uma em cada lado da cabine de voo. Em caso de emergência, o piloto pode acionar os “airbags” para proteger a cabine contra impactos com o solo.

Gigante dos ares

Com 91 metros de comprimento, o Airlander 10 é quase 20 metros mais longo que o Airbus A380, o maior avião de passageiros mundo. A aeronave ainda tem 34 metros de largura, 26 m de altura e pode decolar com peso máximo de 20 toneladas, sendo metade de carga.

Para voar, o aparelho precisa ser inflado com 38.000 m³ de gás hélio e a propulsão fica por conta de quatro motores V8 turbodiesel, cada um capaz de gerar 325 cavalos de potência. Segundo a HAV, em missões tripuladas o Airlander 10 pode permanecer voando por cinco dias, ou então por duas semanas se operado remotamente.

O Airlander 10 pode decolar com peso máximo de 20 toneladas (HAV)

O Airlander 10 pode decolar com peso máximo de 20 toneladas (HAV)

O plano do fabricante é oferecer o dirigível para funções como “guindaste voador”, no ramo da construção civil, ou ainda como plataforma para serviços de comunicação e pesquisas científicas, além de também ser sugerido como um meio de busca e salvamento. Apesar do enorme porte, a aeronave não precisa de uma pista para alçar voo, o que aumenta sua versatilidade em diferentes missões.

O desenvolvimento do Airlander 10 começou em 2010 nos Estados Unidos, a pedido do exército para uma aeronave “inteligente” de longo alcance. O programa, na época assumido pela fabricante Northrop Grumman, foi cancelado pelo Pentágono em 2013 por falta de verbas. Nesse mesmo ano, a HAV adquiriu o projeto e assumiu a construção do aparelho.

A aeronave é impulsionada por quatro motores turbodiesel de 350 hp (HAV)

A aeronave é impulsionada por quatro motores turbodiesel de 350 hp (HAV)

De acordo com dados da ficha técnica, o Airlander 10 foi projetado para voar a velocidade máxima de 150 km/h e se descolar por um raio de 6.000 km a partir de sua base. Até 2021, a empresa britânica planeja fabricar 10 unidades do dirigível.

Apesar do tamanho avantajado, o dirigível britânico tem apenas uma fração do tamanho do famoso Zeppelin Hindenburg, a maior máquina criada pelo homem que já voou, com 245 metros de comprimento e mais de 200 toneladas de peso.

Veja mais: Hangar do Zeppelin no Rio de Janeiro completa 80 anos