A LATAM tem sete Airbus A350 na frota (Airbus)

A LATAM confirmou nesta quinta-feira (23) o sub-leasing (subarrendamento) de quatro dos sete jatos avançados Airbus A350 WXB para a Qatar Airways, conforme antecipado pelo Airway. O contrato prevê que a companhia do Oriente Médio assumirá a operação e a manutenção dos aviões por um período que varia de seis meses a um ano, mas que pode ser prorrogado. A empresa sul-americana já havia postergado a entrega de novas unidades do modelo de 2017 para 2018.

Com isso, restam apenas três A350 em sua frota que serão usados nas rotas entre São Paulo e Madri e também Paris, porém, em voos intercalados com o Boeing 777-300ER, nesse último caso. Como se sabe, a LATAM teve 10% do seu controle acionário assumido pela Qatar Airways no final do ano passado.

Sobre a redução da frota, a LATAM disse que “segue empenhada em flexibilizar seu plano de frota, alinhando-o às necessidades operacionais e às condições do mercado”. Com a queda na demanda por viagens no Brasil causada pela recessão, não só a LATAM mas outras empresas aéreas foram obrigadas a reduzir custos e cortar entregas de aviões – a concorrente Azul, por exemplo, cancelou o leasing de A350 pouco antes de ter o primeiro avião entregue.

Voo 25% mais econômico

A ironia no ‘downgrade’ de equipamento na LATAM é que o A350 é justamente um avião que reduz os custos de operação significativamente. A Airbus garante que ele consome 25% menos combustível que aeronaves semelhantes de gerações passadas. Mas o preço em dólar, uma moeda que se valorizou muitos nos últimos anos, pode ter eliminado essa vantagem por enquanto. Uma pena porque o aparelho promete um voo mais confortável e com recursos tecnológicos mais avançados.

Sem o A350, a LATAM manterá uma frota mista de 777 e de antigos 767 em seus voos internacionais. Enquanto isso, o braço chileno da LATAM, até o momento não confirmou a redução na frota de outro jato avançado, o Boeing 787, dos quais existem 23 unidades na frota.

A Latam vai usar o Boeing 787-9 com 220 assentos, no trecho entre Santiago e Melbourbe (Divulgação)

Boeing 787-9 da LATAM chilena: frota de 23 aviões permanece intocada (Latam)

Veja mais: Aeroflot, da Rússia, é a companhia mais poderosa do mundo