O G600 é avaliado em cerca de US$ 54,5 milhões; jato estreia em 2019 (Gulfstream)

O G600 é avaliado em cerca de US$ 54,5 milhões; jato estreia em 2019 (Gulfstream)

A Gulfstream Aerospace passou o final de semana trabalhando. Decolou pela primeira vez no sábado (17), a partir do aeroporto de Savannah, na Geórgia, nos Estados Unidos, o primeiro protótipo do novo jato executivo G600. Segundo a fabricante, a aeronave realizou um voo de duas horas e 53 minutos e retornou ao ponto de origem.

Desenvolvido para suceder o modelo G550, introduzido em 2004, o G600 vem com a promessa de ser quase 20% mais rápido, mas com o mesmo consumo de combustível. De acordo com a Gulfstream, a aeronave alcança a velocidade máxima de mach 0,95, o que equivalente a 1173 km/h – mach 1, a velocidade do som, é igual a 1.225 km/h, no nível do mar.

O G600 é uma derivação do G500, modelo bimotor em fase final de desenvolvimento e certificação. A grande diferença entre as aeronaves é o comprimento das fuselagens: o G600 mede 29,2 metros de uma ponta a outra, 1,5 m a mais que o G500. Apesar da diferença, os dois aviões são projetados para transportarem até 19 passageiros em quatro ambientes.

Com tanques de combustível maiores em relação ao G500, o novo jato G600 poderá realizar viagens de até 11.482 km, o suficiente para voar sem escalas, por exemplo, de São Paulo até a Ucrânia – em velocidade de cruzeiro, a 1.049 km/h. Já o G500 tem autonomia para deslocamentos de 9.260 km.

A primeira entrega do G500, avaliado em US$ 43,5 milhões, está programada para 2018, enquanto o modelo G600, tabelado em US$ 54,5 milhões, chega no ano seguinte.

Veja mais: Monojato da Cirrus é certificado nos EUA