O C295 SAR brasileiro voando pela costa da Espanha (Airbus)

O C295 SAR brasileiro voando pela costa da Espanha (Airbus)

A Força Aérea Brasileira (FAB) recebeu nesta sexta-feira (16) a primeira aeronave Airbus C295 na configuração de busca e resgate (SAR – Search and Rescue). A entrega foi feita nas instalações da Airbus Defence and Space, em Sevilha, na Espanha, na presença de Raul Jungmann, ministro da defesa do Brasil, o Comandante da Aeronáutica, Tenente-Brigadeiro do Ar Nivaldo Luiz Rossato, e de Bernhard Brenner, vice-presidente de marketing e vendas da Airbus Defence and Space.

A nova aeronave será integrada em julho à frota existente de 12 C295s configurados para transporte – no Brasil, esse avião é chamado de C-105 “Amazonas”. Os termos do acordo também incluem um contrato de cinco anos para suporte completo durante a operação (FISS – Full In Service Support).

“Somos muito gratos por esta renovada demonstração de confiança vinda de um cliente de muitos anos, que usará o C295 para realizar tarefas críticas para a Força Aérea Brasileira. O C295 tem grande aprovação em missões de busca e resgate e representará um grande salto em capacidade para o Brasil”, diz Brenner.

Após a cerimônia de entrega, a nova aeronave voará para o Paris Air Show para ser exibida na área de exposição estática da Airbus durante o evento. Após o evento, o avião vai realizar um tour de um mês por países da Ásia e América do Norte, demonstrando sua capacidade em diversos ambientes, antes de chegar ao Brasil para entrar em operação.

Este é o primeiro dos três aviões desse tipo que a FAB encomendou. As aeronaves serão destinadas ao 2º/10º Grupo de Aviação também conhecido como “Esquadrão Pelicano”, sediado em Campo Grande (MS).

O C295 de busca e resgate conta com alguns equipamentos especializados na função SAR, como o radar EL/M-2022A localizado no nariz e capaz de vasculhar até 360 km em terra ou mar. Há também sensores ópticos e de infravermelho localizados num radome na parte inferior da fuselagem que ajudam a localizar objetos e pessoas em lugares mais fechados ou em alto-mar. Além disso, há quatro janelas em bolha (duas em cada lateral da fuselagem) destinadas aos tripulantes observadores, que monitoram visualmente o perímetro voado.

A delegação brasileira liderada por Raul Jungmann, Ministro da Defesa do Brasil, na sede da Airbus Defence and Space (Airbus)

A delegação brasileira liderada por Raul Jungmann, Ministro da Defesa, na sede da Airbus Defence and Space (Airbus)

Veja mais: Novo caça da FAB, Gripen E completa primeiro voo