O "Air Force One" é equipado com sistema de defesa e blindagem contra radiação (Domínio Público)

O “Air Force One” é equipado com sistema de defesa e blindagem contra radiação (USAF)

O avião presidencial mais icônico do mundo, o Boeing 747 “Air Force One” dos Estados Unidos, vai ganhar uma nova geração. A fabricante norte-americana e o comando da Força Aérea dos EUA (USAF) assinaram nessa sexta-feira (15) um contrato avaliado em US$ 127 milhões para iniciar o desenvolvimento da aeronave, que exige uma série de modificações de cunho militar.

Esse já é o segundo acordo entre as duas partes em relação a renovação da frota presidencial dos EUA. Em fevereiro deste ano, a Boeing já havia recebido US$ 25,8 milhões para iniciar o detalhamento das requisições e design da aeronave, que será baseada no 747-8, a versão mais recente do jato comercial de grande porte.

O contrato da vez serve para a Boeing desenvolver os sistemas de controle e geração de energia, equipamentos eletrônicos, detalhes da cabine e antecipar processos de manutenção. O plano da USAF é adquirir até três jatos da nova geração, que terão a missão de substituir os dois modelos veteranos atuais, desenvolvido a partir do 747-200, em operação desde 1990.

A previsão é de que os novos 747 de transporte presidencial dos EUA entrem em operação a partir de 2023, ao mesmo tempo em que os modelos atuais encerram seus ciclos operacionais. O governo dos EUA também chegou a considerar o Airbus A380 para a função, mas acabou optando pela proposta da Boeing.

Mais adiante, a Boeing e USAF devem assinar mais contratos para finalizar o desenvolvimento do novo Air Force One, assim como sua fabricação, que deve começar até o final desta década.

Diferentemente do modelo comercial, 747 presidencial pode ser reabastecido em voo (USAF)

Diferentemente do modelo comercial, 747 presidencial pode ser reabastecido em voo (USAF)

“Casa Branca voadora”

O Air Force One é muito mais do que um avião de transporte executivo de grande porte, o que por si só já é algo impressionante. O Jumbo que carrega o presidente Barack Obama possui equipamentos de comunicação via satélite e até sistemas de defesa contra mísseis e radares e blindagem contra radiação. Com tantos recursos, a aeronave é chamada de “Casa Branca voadora” e em casos de guerra pode ser o posto de comando do governo americano.

O 747 presidencial dos EUA possui uma aérea interna de 370 m². Há quartos, banheiros, cozinha, sala de reunião e a cabine privada do presidente. A aeronave pode transportar cerca de 100 passageiros e trabalha com 26 tripulantes. De acordo com a USAF, o Air Force One, tem alcance de 13.000 km, que ainda pode ser estendido com reabastecimento em voo – o jato carrega 203 mil litros de combustível, o suficiente para dar meia volta ao mundo.

Air Force One

O termo “Air Force One” é utilizado por qualquer avião da USAF que transporta o presidente dos EUA. No entanto, é sempre lembrado como o nome da aeronave, que oficialmente é “VC-25A”. O código é utilizado na comunicação do aparelho com torres de controle e outros aviões.

Seguindo a mesma ordem, quando o presidente dos EUA viaja a bordo de aeronaves da Marinha, a mesma é chamada de “Marine One”, e em aparelhos do Exército o código “Army One”.

Em caso de guerras, o Air Force One pode ser utilizado como posto de comando avançado (USAF)

Em caso de guerras, o Air Force One pode ser utilizado como posto de comando avançado (USAF)

Veja mais: Rússia prepara o avião do “juízo final”