Cargueiro ou caça? O KC-390 vai ter até head-up display, como aviões de combate (Rockwell Collins)

Cargueiro ou caça? O KC-390 vai ter até head-up display, como aviões de combate (Rockwell Collins)

A Embraer definiu nesta semana o painel que vai equipar do cargueiro KC-390. E que painel! A fabricante selecionou o sistema de aviônicos “Pro Line Fusion”, desenvolvido pela empresa norte-americana Rockwell Collins, com recursos que facilitam bastante o trabalho dos pilotos.

Não há relógios, medidores, termômetros. Todas as funções e equipamentos da aeronave serão apresentadas em telas digitais sensíveis ao toque. Segundo o fabricante, o painel de última geração facilita a navegação e permite a mudança de comandos com apenas um toque.

O KC-390 vai ter até head-up display, recurso normalmente utilizado em caças. Esse equipamento mostra as informações básicas de comando ao piloto direto para uma tela transparente na altura de sua visão. Desta forma, pode pilotar sem desviar a atenção do horizonte. Será útil em operações de reabastecimento aéreo, algo que o modelo da Embraer também será capaz de fazer – além de também reabastecer outras aeronaves.

A Rockwell Collins também vai fornecer ao KC-390 o sistema de lançamento de cargas, chamado pela sigla CHADCS. Esse equipamento serve para manter a carga segura, monitorar seu peso e executar os lançamentos aéreos de cargas, que podem ser suprimentos para tropas ou até veículos.

O cargueiro militar da Embraer será equipado para lançar cargas de paraquedas (Rockwell Collins)

O cargueiro militar da Embraer será equipado para lançar cargas de paraquedas (Rockwell Collins)

As primeiras entregas do KC-390 a Força Aérea Brasileira (FAB) estão previstas para meados de 2017. Além do Brasil, o jato também vai equipar as forças armadas da Argentina, Chile, Colômbia, Portugal e República Tcheca. O modelo também interessa a Itália e Suécia. Esses países, no entanto, ainda não confirmaram oficialmente seus pedidos.

Veja mais: Antonov apresenta rival do Embraer KC-390