"Caçador de Lucros": o E195-E2 viajou para a França com a pintura especial de uma águia (Embraer)

“Caçador de Lucros”: o E195-E2 viajou para a França com a pintura especial de uma águia (Embraer)

A Embraer está faturando alto na edição desta ano do Paris Air Show, na França. Até está quarta-feira (21), a fabricante brasileira já firmou acordos para venda de até 50 aeronaves. As negociações realizadas até o momento já superam a faixa de US$ 1 bilhão, o que equivalente a mais de R$ 3 bilhões.

O maior negócio foi fechado com um cliente ainda não divulgado. Segundo a Embraer, trata-se de um pedido firme (quando o contrato é assinado) para 10 jatos E195-E2 e direitos de compra para mais 10 modelos E190-E2. A encomenda tem valor estimado em US$ 666 milhões.

Um segundo cliente que também não teve a identidade revelada iniciou outra importante negociação com a Embraer, para 20 jatos E190-E2 por US$ 1,182 bilhão. O contrato com esse cliente, no entanto, ainda não foi assinado.

Entre os clientes que não esconderam a identidade no momento da compra, o maior deles foi a companhia aérea Fuji Dream Airlines, do Japão. A empresa selou um acordo de US$ 274 milhões para compra de três jatos E175 e direitos de aquisição para mais três aeronaves do mesmo modelo.

Outro pedido firme veio da KLM CityHopper, divisão regional da KLM, da Holanda, para dois jatos E190 por US$ 101 milhões.

A Embraer também confirmou o contrato de venda com a companhia bieolorussa Belavia para dois E-Jets da geração atual, um E175 e outro E195, avaliados em US$ 99,1 milhões.

Por fim, a fabricante brasileira também recebeu um pedido firme por um E190 da companhia Japan Airlines, do Japão, avaliado em US$ 50,6 milhões.

Veja mais: Em “ano transformador”, Embraer apresenta novos aviões em Paris