Além de cargueiro, o KC-390 também vai atuar em missões de reabastecimento aéreo (Embraer)

Além de cargueiro, o KC-390 também vai atuar em missões de reabastecimento aéreo (Embraer)

A Embraer e a Boeing anunciaram nesta segunda-feira (11), no festival aéreo de Farnborough, na Inglaterra, a assinatura do acordo de parceria para vendas e suporte do KC-390, aeronave multimissão de transporte militar e reabastecimento aéreo desenvolvida no Brasil.

Segundo o acordo, as empresas explorarão em conjunto novas oportunidades de negócios, tanto para a comercialização da aeronave quanto para o seu suporte e manutenção. A Embraer vai fabricar a aeronave e a Boeing será responsável pelo suporte operacional.

Este acordo amplia uma colaboração já existente entre as empresas, que em 2012 anunciaram a intenção de comercializar conjuntamente a aeronave. “A expansão do nosso relacionamento permitirá oferecer o melhor avião de transporte médio para os nossos clientes, ao mesmo tempo em que os mantêm respaldados pelo melhor serviço de suporte disponível”, disse Jackson Schneider, presidente da Embraer Defesa e Segurança. “A Boeing tem uma notável experiência no mercado militar e o KC-390 é a aeronave mais eficiente em sua categoria.”

“O acordo de parceria entre Boeing e Embraer reúne duas empresas fortes e reforça o nosso compromisso de ampliar a oferta de serviços a aeronaves que não são produzidas pela Boeing”, salientou Ed Dolanski, presidente da Boeing Global Services and Support. “Nossa vantagem é o alcance global da Boeing, o que proporciona maior flexibilidade, permitindo-nos atender rapidamente aos clientes, bem como aproveitar as sinergias que ajudam a reduzir custos e repassar esta economia aos clientes”.

O Embraer KC-390 está atualmente em uma turnê por oito países e espera receber a certificação até o final de 2017. A expectativa é que as entregas, para a Força Aérea Brasileira (FAB), comecem durante o primeiro semestre de 2018.

Avião “faz tudo”

O KC-390 é uma aeronave de transporte tático capaz de realizar diversas missões, como transporte e lançamento de cargas e tropas, reabastecimento em voo, busca e resgate e combate a incêndios florestais.

Trata-se de um projeto da Força Aérea Brasileira (FAB), que, em 2009, contratou a Embraer para realizar o desenvolvimento da aeronave. O primeiro protótipo realizou seu primeiro voo em fevereiro de 2015 e dois protótipos estão atualmente em campanha de testes de voo, com média de dois voos por dia.

Veja mais: Embraer se une à Boeing em jato que usa querosene de cana de açúcar