O E175 E2 terá opções de configuração de cabines com 80 a 90 assentos (Embraer)

O E175 E2 terá opções de configuração de cabines com 80 a 90 assentos (Embraer)

A Embraer cortou nesta semana a primeira peça de metal para seu primeiro protótipo do E175-E2, na fábrica em Évora, em Portugal. O componente é uma estrutura que liga as asas à fuselagem da aeronave, que será o “caçula” da nova geração dos E-Jets.

“Essa peça foi usinada por uma máquina a partir de um bloco sólido de alumínio. É uma parte muito importante do avião, é como o coração do E175-E2”, contou Luis Carlos Affonso, vice-presidente da Embraer Aviação Comercial, durante o passeio com a imprensa na fábrica portuguesa, nessa terça-feira (28).

Como explicou Affonso, a primeira das três aeronaves de testes do E175-E2 está programada para voar na segunda metade de 2018, com entregas previstas a partir de 2020. “Estamos no processo de congelamento de projeto”, disse o executivo, em referência em ao procedimento de definição do desing da aeronave para produção.

Além de produzir a estrutura que une as asas, a unidade da Embraer em Évora também está se preparando para produzir o estabilizador horizontal do E175-E2, que neste caso será produzido de material composto. O E190-E2 e E195-E2 têm estabilizadores horizontais de metal.

“Essa é uma das principais características da nova geração dos E-Jets para buscar resultados mais eficientes, em termos de consumo de combustível e desempenho. Embora compartilhem uma série de componentes, cada um dos três aviões possuem partes exclusivas desenvolvidas justamente para tornar a aeronave mais eficiente”, explicou João Pedro Taborda, diretor de relações externas da Embraer para Europa, Oriente Médio e África.

A primeira peça do E175-E2 é uma estrutura que une as asas do avião (Thiago Vinholes)

A primeira peça do E175-E2 é uma estrutura que une as asas do avião (Thiago Vinholes)

Os dois jatos Bombardier CS Series, principal concorrente da Embraer, por exemplo, compartilham a mesma asa, de 35,1 metros. Já os E-Jets da próxima geração terão cada um uma asa de tamanho diferente, o que torna o projeto e a fabricação das aeronaves mais complexos, mas em contrapartida reduzem os custos para o operador.

E-Jets E2

O primeiro protótipo do E190-E2 decolou em 23 de maio. Segundo a Embraer, o jato está perto de completar 40 horas de voo e o programa de testes está sendo cumprido sem problemas e dentro do cronograma. Como antecipou o vice-presidente da Embraer Aviação Comercial em Évora, o avião tem boas chances de voar até o festival aéreo de Farnborough, na Inglaterra, no próximo mês.

Ainda de acordo com Affonso, o segundo protótipo do E190-E2 deve decolar ainda na primeira semana de julho. A aeronave, versão intermediária da série E-Jets E2 para até 97 passageiros, está programada para entrar em serviço em meados de 2018. Já o E195-E2, o maior modelo da família, terá espaço para 116 ocupantes e tem estreia prevista para 2019.

A Embraer já recebeu mais de 300 pedidos pelos novos E-Jets, entre pedidos firmes e intenções de compra.

Viagem realizada a convite da Embraer

Veja mais: Embraer prepara maior apresentação de sua história