O Embraer E190-E2 será o primeiro avião com motores a jato da Widerøe (Divulgação)

O Embraer E190-E2 será o primeiro avião com motores a jato da Widerøe (Divulgação)

A Widerøe, companhia aérea regional da Noruega e maior desse segmento na Escandinávia, será a primeira empresa do mundo a receber o novo jato E190-E2, o primeiro integrante da série E-Jets E2, segunda geração da família de aviões comerciais da Embraer. A entrega da primeira aeronave está programada para o primeiro semestre de 2018.

A Widerøe tem um contrato com a Embraer para até 15 jatos da família E2, que consiste em três pedidos firmes para o E190-E2 e direitos de compra para outras 12 aeronaves da família E2. O pedido tem um valor potencial de até US$ 873 milhões.

“O programa E2 segue cumprindo todas as especificações técnicas, dentro do prazo e do orçamento. Nossa equipe continua focada em realizar uma entrega bem-sucedida à Widerøe no primeiro semestre do próximo ano”, disse John Slattery, presidente & CEO da Embraer Aviação Comercial. O E190-E2 voou pela primeira vez em maio de 2016. A família E-Jets 2 também inclui os modelos E195-E2 e E175-E2, previstos para 2019 e 2020, respectivamente.

A Widerøe vai configurar o E190-E2 em classe única, com 114 assentos. Com a encomenda da Widerøe, a carteira de pedidos dos E-Jets E2 chega a 275 aeronaves mais 415 cartas de intenção, opções e direitos de compra, totalizando 690 compromissos de companhias aéreas e empresas de leasing.

Stein Nilsen, CEO da Widerøe, afirmou: “Estamos muito orgulhosos por ser a primeira companhia aérea do mundo a operar o E190-E2. Conhecendo o trabalho árduo que a Embraer vem realizando na campanha de certificação, especialmente em termos de maturidade, temos total confiança em uma entrada em serviço tranquila. O E190-E2 será um grande salto na história de Widerøe, e nosso planejamento para as primeiras entregas já está bem encaminhado.”

O Embraer E190-E2 será a primeira aeronave da Widerøe com motores a jato. A frota da empresa norueguesa, com 41 aviões, é composta somente por modelos turbo-hélice Bombardier Dash 8, fabricados no Canadá.

A Widerøe opera diferentes versões do turbo-hélice canadense Dash-8 (Divulgação)

A Widerøe opera diferentes versões do turbo-hélice canadense Dash-8 (Divulgação)

Veja mais: Maior avião brasileiro, Embraer E195-E2 está quase pronto