O "jatão" chinês deve voar somente em 2021, prevê a fabricante (COMAC)

O “jatão” chinês deve voar somente em 2021, prevê a fabricante (COMAC)

A COMAC, fabricante chinesa de aeronaves comerciais, divulgou nessa quinta-feira (3) informações sobre o jato C919, modelo que será que desenvolvido em parceria com a UAC, da Rússia. O anúncio foi realizado no último dia do Zhuhai Air Show, o maior evento de aviação da China, na província de Guangdong – esse evento também é conhecido como Airshow China.

O C919 será um jato da categoria widebody (fuselagem larga) com capacidade para transportar de 250 a 300 passageiros e alcance de 12.000 km. Esse porte e desempenho colocam a aeronave da COMAC da disputa com modelos tradicionais do segmento, como o Airbus A330 e o Boeing 777.

Segundo o fabricante chinês, o primeiro voo do C929 está programado para 2023 e a produção seriada deve ser iniciada em 2025, com estreia comercial no ano seguinte. Como informou a COMAC, a aeronave será fabricada em Xangai, na China.

“Um avião comercial de grande porte é a personificação de uma nação industrial e tecnológica, bem como seu poder abrangente”, diz o site da COMAC, a respeito do C929.

Asas da China

A COMAC é uma empresa recente, com apenas 20 anos, mas já está causando certo furor. A fabricante foi responsável por desenvolver o primeiro avião comercial da China, o jato regional ARJ-21 “Xiangfeng”, em operação desde novembro de 2015.

Outro projeto da fabricante chinesa é o C919, jato narrowbody (fuselagem estreita), com porte semelhante ao da dupla Airbus A320 e Boeing 737. A aeronave foi apresentada no final de 2015 e o primeiro voo está programado para o próximo ano. A COMAC já recebeu mais de 500 encomendas pela aeronave, prevista para chegar ao mercado a partir de 2019.

Nota do editor: O grupo russo UAC (United Aircraft Corporation) é composto pelas fabricantes Mikoyan, Sukhoi, Ilyishin,Tupolev, Bariev, Yakovlev e Irkut.

Veja mais: Aviões “Made in China”