Carro-avião Aeromobil caiu de para-quedas, por isso os danos foram reduzidos

Carro-avião Aeromobil caiu de para-quedas, por isso os danos foram reduzidos

Um carro voador caiu na Eslováquia nessa última sexta-feira (8). O aparelho acidentado é o terceiro protótipo do AeroMobil, projeto de veículo que pode rodar normalmente como um carro de passeio e também voar. A bordo do “carro-avião” estava Stephan Klein, que conseguiu saltar de para-quedas quando a voava a 300 metros de altitude e não se feriu.

De acordo com relatos reproduzidos pela internet, pessoas que estavam próximas do aeroporto da cidade de Janíkovce, de onde o carro-avião decolou, dizem terem visto o veículo cair em parafuso.

Segundo relato de Klein a mídia estrangeira, o aparelho “encontrou uma situação inesperada”, sem revelar maiores detalhes. Antes de saltar do AeroMobil, o piloto teve tempo de acionar um sistema de para-quedas presentes no veículo, o que amenizou sua queda.

Em sua conta no Twitter, a AeroMobil citou Henry Ford, pioneiro da indústria automobilista, para explicar a queda do protótipo com a célebre frase: “Verdadeiros erros são apenas aqueles com os quais nós não aprendemos nada”.

“No processo de criação de novos veículos, especialmente na fase de protótipo, a possibilidade de situações inesperadas é uma parte natural”, informou a empresa no Twitter.

Voando pelo trânsito

Para alçar voo, o AeroMobil abre suas asas e a propulsão do motor de 100 cv é deslocada das rodas para a hélice na traseira. A partir daí é só acelerar e o carro se torna avião com poucos metros de pista. O aparelho que vem sendo desenvolvido por Klein desde a década 1990 ao poucos vai tomando forma e ganhando desempenho, apesar dos infortúnios.

O AeroMobil na fase atual tem 6 metros de comprimento e 8,3 m de envergadura de asas. Tem o tamanho similar ao de um “teco-teco” convencional e pesa apenas 600 kg (vazio). O protótipo atual pode voar a uma velocidade de até 200 km/h com um alcance de 700 km. No modo “carro”, o modelo atinge 160 km/h e tem uma autonomia de 875 km.

As asas do AeroMobil são retráteis

As asas do AeroMobil são retráteis

Ideia do passado

Carros que voam não são uma ideia realmente nova. Esse tipo de combinação vem aparecendo desde que os primeiros aviões surgiram. Em 1917 foi registrado o primeiro projeto do tipo, o Curtiss AutoPlane, um triplano com carroceria de automóvel. Na década de 1930 foi lançado nos Estados Unidos um trio de carros-voadores da marca Arrowbile, mas o negócio não foi adiante devido ao design nada prático dos veículos. Além dessas tentativas, houve também projeto militares nesse campo, como o Curtiss-Wright VZ-7, e aventuras de entusiastas, como um que instalou asas em um Chevrolet Convair nos EUA da década de 1950.

Atualmente, além do AeroMobil, existem outros dois projetos de carros-voadores em desenvolvimento, o Terrafugia Transition e o Moller M400. Todos esses modelos devem chegar ao mercado até o final da desta década. Já vá tirando seu brevê de piloto.