O Sukhoi Su-24M é um bombardeiro tático (VKS)

O Sukhoi Su-24M é um bombardeiro tático (VKS)

Um bombardeiro tático Su-24M pertencente às Forças Aeroespaciais Russas (VKS) foi abatido por um caça F-16 pertencente à Força Aérea da Turquia (THK) próximo da fronteira com a Síria nesta terça-feira (24), informou a presidência do país. Segundo a Turquia, a aeronave russa havia violado o seu espaço aéreo. A ordem para o abate foi dada diretamente pelo primeiro-ministro da Turquia.

De acordo com a agência russa Interfax, o Ministério da Defesa da Federação Russa confirmou a perda de uma de suas aeronaves. A autoridade disse, entretanto, que o Su-24M não havia violado o espaço aéreo turco. O ministério afirmou que os pilotos conseguiram se ejetar e chegaram ao solo de paraquedas. O governo de Moscou afirmou que pode provar que seu avião não deixou o espaço aéreo sírio.

“Durante o voo, o avião permaneceu todo o tempo sobre o território da Síria, como ficou registrado nos radares”, declarou o Ministério da Defesa russo. O porta-voz do Kremlin chamou o evento de “um incidente muito sério”, mas disse ser muito cedo para chegar a conclusões.

Um dos pilotos russos morreu e o outro foi capturado por militantes turcomanos na Síria, um dos grupos de oposição ao regime regime do presidente Bashar al-Assad, informou a emissora “CNNTÜRK” citando fontes locais.

Segundo o Estado Maior das Forças Armadas da Turquia, o Su-24M russo abatido foi alertado dez vezes em um intervalo de cinco minutos sobre a violação do espaço aéreo. Dois jatos F-16 turcos que faziam patrulha na fronteira participaram do abate da aeronave.

Um oficial turco disse à Reuters que havia duas aeronaves intrusas que foram alertadas após entrarem no espaço aéreo do país antes do abate.

Pouco depois da queda da aeronave, dois helicópteros militares russos se aproximaram da região para procurar os pilotos, mas os milicianos turcomanos não deram permissão para que eles pousassem, relataram as fontes à “CNNTÜRK”. Cerca de 25 minutos depois do incidente, começou um intenso bombardeio russo contra a região. Um helicóptero Mi-8 Terminator foi abatido por rebeldes e um tripulante morreu.

O avião russo foi derrubado por um míssil disparado por um caça F-16 turco (Agência Anadolu)

O avião russo foi derrubado por um míssil disparado por um caça F-16 turco (Agência Anadolu)

O gabinete do primeiro-ministro, Ahmet Davutoglu, disse que ele falou com o chefe das Forças Armadas e com o Ministro das Relações Exteriores sobre acontecimentos na fronteira. O comunicado não mencionava o ataque.

O premiê ordenou que o ministro das Relações Exteriores entre em contato com a OTAN, a ONU e países relacionados aos acontecimentos na região sobre o que aconteceu na fronteira.

O presidente da Turquia, Recep Erdogan, foi avisado sobre os acontecimentos e irá conversar com o primeiro-ministro. Trata-se da primeira aeronave perdida pela Rússia desde o início da campanha contra posições de organizações terroristas na Síria, no dia 30 de setembro.

A Turquia denunciou várias violações russas de seu espaço aéreo e alertou que derrubaria os aviões que voltassem a entrar sem autorização no território turco. Na época, a Rússia reconheceu os incidentes e os atribuiu às más condições meteorológicas na região da Base Aérea de Bassel al-Asad, em Latakia, usada pela Força Aérea do país na operação na Síria. Além disso, afirmou que o local está a apenas 30 quilômetros da fronteira sírio-turca.

O avião russo foi atacado por um caça F-16 da Turquia (THK)

O avião russo foi atacado por um caça F-16 da Turquia (THK)

A Turquia, que se opõe à intervenção militar russa na Síria, pediu o estabelecimento de uma área de exclusão aérea na fronteira entre os dois países. O presidente da Federação Russa, Vladimir Putin, comentou o ocorrido: “Nossa aeronave foi abatida por um míssil ar-ar disparado por um caça F-16 turco.”

“A perda de hoje é uma facada nas costas que nos foi dada pelos cúmplices dos terroristas”, declarou Putin em coletiva de imprensa na presença do rei da Jordânia, Abdullah II. “A aeronave russa foi abatida sobre a Síria, a 1 km da fronteira com a Turquia, a uma altitude de 6.000 m, tendo caído a 4 km do território turco, e não representava nenhuma ameaça à segurança nacional turca”, salientou.

“A Rússia tem observado o fluxo de petróleo proveniente do território sírio sob o controle dos terroristas para a Turquia”, disse Putin. “Aparentemente, os terroristas não só recebem receitas provenientes do contrabando de petróleo, como também tem proteção militar de uma nação. Isso explica a ousadia do grupo terrorista na realização de ataques em todo o mundo”, acrescentou.

“O incidente terá graves consequências nas relações da Rússia com a Turquia”, concluiu. O Su-24M caiu no extremo noroeste do território sírio, ao oeste da cidade de Idlib.

Fonte: Cavok