O jato desenvolvido pela Boeing e Saab disputa um contrato de US$ 11 bilhões nos EUA (Boeing)

O jato desenvolvido pela Boeing e Saab disputa um contrato de US$ 11 bilhões nos EUA (Boeing)

As fabricantes Boeing e Saab concluíram com sucesso nessa terça-feira (20), em St. Louis, o primeiro voo do jato T-X, aeronave de treinamento avançado projetada de acordo com os requisitos da Força Aérea dos Estados Unidos (USAF). O novo avião, apresentado em setembro, é proposto para substituir o veterano T-38 Talon, usado desde 1961, na formação de novos pilotos de caça.

O primeiro voo do T-X durou 55 minutos e foi conduzido pelo pilotos de testes da Boeing, Steven Schmidt, e o piloto-chefe dos programas da USAF, Dan Draeger. “A aeronave atendeu a todas as expectativas. É bem desenhado e oferece características de manuseamento superiores. O cockpit é intuitivo, espaçoso e ajustável, de modo que tudo está ao alcance fácil”, contou Schmidt, após o teste.

“Eu tive uma ótima visão geral durante todo o vôo do assento do instrutor, que é fundamental durante o treinamento”, acrescentou Draeger, que viajou no assento traseiro.

Segundo comunicado dos fabricantes, o jato é preparado para entrar em operação a partir de 2024. O governo dos EUA, no entanto, ainda não bateu o martelo sobre a compra da aeronave desenvolvida pela Boeing em parceria com a Saab, da Suécia. O contrato, que prevê a aquisição de 350 aeronaves, é avaliado em US$ 11 bilhões.

O principal concorrente do T-X nessa disputa é jato de treinamento KAI T-50 Golden Eagle, desenvolvido pela Korea Aerospace Industries (KAI) em parceria com a Lockheed Martin. O T-50 já voa com a força aérea da Coreia do Sul desde 2005, em missões de treinamento e como caça leve.

A Boeing iniciou o programa T-X em 2010 e três anos depois ganhou a companhia da Saab, que passou a colaborar no desenvolvimento da aeronave – a força aérea da Suécia também está em busca de um novo jato de treinamento avançado.

Veja mais: Alemanha demonstra interesse no Embraer KC-390