Segundo a Boeing, o 787-10 tem alcance de 11.910 km com mais de 300 passageiros (Boeing)

Segundo a Boeing, o 787-10 tem alcance de 11.910 km com mais de 300 passageiros (Boeing)

A Boeing realizou nesta sexta-feira (17) a apresentação do novo jato 787-10, na fábrica em North Charleston, no estado da Carolina do Sul, nos Estados Unidos. O modelo é o terceiro e último modelo programado da família Dreamliner, que já voa nas versões 787-8 e 787-9, e também o maior da série, com 68,2 metros de comprimento e capacidade média para 330 passageiros. Segundo a fabricante, a aeronave deve voar ainda neste ano e sua estreia comercial está prevista para 2018, começando com as companhias Singapore e United.

O 787-10 é considerado o substituto direto do 777-200ER, ainda em produção, e seu principal concorrente é o Airbus A350-900, com quem compartilha praticamente a mesma capacidade de passageiros. De acordo com a tabela de preços da Boeing, o novo jato comercial é avaliado em US$ 306 milhões, algo em torno de R$ 946 milhões.

Apesar de ser a maior versão da série Dreamliner, o 787-10 é o que tem a menor autonomia de voo da família, de 11.910 km, enquanto seus irmãos podem realizar viagens que superam os 13.000 km. Já a velocidade máxima é igual entre os três modelos: 945 km/h.

O novo jato comercial da Boeing, a exemplo das outras versões do 787 que já foram lançadas, também chega ao mercado com a promessa de ser até 25% mais eficiente em consumo de combustível, comparado a aeronaves de capacidades semelhantes da geração anterior. Esse desempenho é alcançado devido aos motores com tecnologias mais recentes e o modo de construção inovador, que utiliza materiais compostos em vez de ligas metálicas, mais pesadas.

Mesmo ainda sem ter decolado, a Boeing já recebeu 149 encomendas pelo 787-10, de nove clientes diferentes. O maior deles é a companhia Singapore Airlines, de Cingapura, que pediu 30 unidades.

Mesmo críticando duramente a Boeing nos últimos meses, especialmente pelo alto custo pedido pela empresa no projeto do novo Air Force One, o presidente dos EUA, Donald Trump, esteve presente na apresentação do 787-10.

Sucesso de vendas

Desde 2011, a fabricante já entregou mais de 500 exemplares do 787, nas versões 8 e 9, e conta com pedidos para mais 541 aeronaves. Com esse volume, o modelo da Boeing é o jato comercial de nova geração mais vendido do mundo, superando seu rival direto, o Airbus A350, em mais de 400 unidades.

Veja mais: Maior avião brasileiro, Embraer E195-E2 está quase pronto