A Boeing também planeja criar naves espaciais para viajar até Marte (Boeing)

A Boeing também planeja criar naves espaciais para viajar até Marte (Boeing)

Para reduzir custos com desenvolvimento e lançamentos de veículos espaciais, a NASA “terceirizou” algumas de suas funções e abriu a oportunidade para empresas privadas. Uma delas foi a Boeing, que por sinal está atrasada.

A fabricante pretendia lançar sua primeira missão tripulada com a nave espacial CST-100 Starliner no próximo ano. No entanto, em comunicado oficial, a empresa afirmou que o aparelho ficará pronto somente no início de 2018.

Segundo a Boeing, o plano foi adiado por uma “variedade de questões que surgiram durante o desenvolvimento” do veículo. A empresa norte-americana é um das que assinaram acordo com a NASA para enviar astronautas a Estação Espacial Internacional (ISS).

O concorrente do CST-100 Starliner é a SpaceX, do grupo Tesla Motors, liderado pelo empresário Elon Musk. Diferentemente do projeto da Boeing, a nave espacial da Tesla, chamada “Dragon”, está em estágio mais avançado, tanto que sua primeira missão a serviço da NASA está programada para 2017 – o Dragon já foi até mesmo testado no espaço e acoplou a ISS, mas ainda sem tripulantes.

Boeing espacial

O novo veículo espacial da Boeing foi desenvolvido para transportar até sete autronautas e suprimentos para a ISS. Segundo dados do fabricante, o CST-100 Starliner terá capacidade para permanecer em órbita por até sete meses e ser reutilizada em até 10 vezes missões. Mas isso é apenas o começo.

Segundo a Boeing, a operação de acoplamento com ISS será realizada por comandos automáticos (Boeing)

Segundo a Boeing, a operação de acoplamento com ISS será realizada por comandos automáticos (Boeing)

A Boeing, que já recebeu US$ 4,2 bilhões da NASA para o projeto, também tem planos de criar versões da CST-100 capazes de viajar até a Lua, na próxima década, e Marte, em meados de 2030. A SpaceX também tem os mesmos objetivos, mas prazos menores, o que a coloca na frente nessa nova “corrida espacial comercial”.

Com o atraso do projeto da Boeing, o calendário de lançamentos da agência espacial americana também deve ser empurrado. Enquanto os novos veículos não ficam prontos, a missão de envio de austronautas de qualquer nacionalidade a ISS fica a cargo da nave russa Soyuz. Até 2009, essa tarefa era realizada pelos Ônibus Espaciais (Space Suttle) da NASA.

O veículo já foi submetido a uma série de testes de segurança e resistência (NASA)

O veículo já foi submetido a uma série de testes de segurança e resistência (NASA)

Veja mais: As espaçonaves do século XXI