Radome do 737 da LAM danificado pelo choque com um drone (Newsavia)

Radome do 737 da LAM danificado pelo choque com um drone (Newsavia)

Um Boeing 737 da companhia LAM (Linhas Aéreas de Moçambique) colidiu com um drone nessa quinta-feira (5) no momento da aproximação para o pouso no aeroporto de Tete, na região central de Moçambique. Apesar do choque, a aeronave, proveniente de Maputo, conseguiu pousar com segurança, informou o site Newsavia, de Portugal.

Ainda há poucas informações sobre o incidente, que está sendo apurado pelo Instituto de Aviação Civil de Moçambique (IACM). O drone atingiu o radome da aeronave, também chamado de “nariz”. Segundo a publicação portuguesa, o jato “seguia com uma boa percentagem de ocupação” – o modelo da LAM atingido pode transportar 144 passageiros.

Essa é a segunda colisão de drone com aeronave registrada na aviação comercial. O primeiro incidente desse tipo de que se tem notícia aconteceu em abril de 2016, com um Airbus A320 da companhia British Airways, do Reino Unido.

O incidente também ocorreu no momento em que o jato realizava o procedimento de aproximação para o pouso no aeroporto de Heathrow, em Londres. A aeronave, com 132 passageiros a bordo, pousou com segurança e sem danos.

Atualização 

A companhia LAM revelou mais detalhes em nota oficial sobre o incidente com o aeronave em Tete na tarde desta sexta-feira (6). No comunicado, a empresa não confirma o choque com um drone, mas sim com um “organismo externo”. No entanto, a hipótese de um “birdstrike” (colisão com pássaro) também não é citada, tampouco uma tempestade de grazino. A colisão está sob investigação da IACM.

Veja mais: Por dentro do “nariz” do avião