Bell 505 Jet Ranger X (Divulgação)

A grande aposta da Bell Helicopters para popularizar o uso do helicóptero no mundo recebeu a certificação de tipo da FAA, órgão que controla a aviação civil nos Estados Unidos. Trata-se do Bell 505 Jet Ranger X, um modelo monoturbina projetado do zero pela empresa e que voou pela primeira vez em 2014.

Apesar da homologação ter sido recebida apenas agora, a Bell já havia entregue o primeiro exemplar do 505 em março a um cliente no Texas. Segundo ela, existem cerca de 300 unidades encomendadas, 30 delas no Brasil onde a TAM Aviação Executiva é a representante da marca.

Com capacidade para quatro passageiros, além do piloto, o Jet Ranger X é um projeto novo que aproveitou apenas parte do sistema de rotor do irmão mais velho e famoso, o 206 Jet Ranger. Ele é equipado com um motor turboshaft Arrius 2R, da Turbomeca.

São até 504 shp de potência máxima para mover as hélices de pá dupla. A velocidade de cruzeiro é de 232 km/h e ele é capaz de voar por mais de 540 km sem reabastecimento ou cerca de 3,5 horas em voo – carga útil é superior a 680 kg. A Bell argumenta que o fato de ser monoturbina permitiu um ótimo aproveitamento interno. A cabine é plana e possui 2 m² de área, além de portas amplas para acesso.

O Bell 505 possui um cockpit avançado equipado com a suíte de aviônicos G1000H, da Garmin, com duas telas principais. O helicóptero é equipado com o sistema FADEC de canal duplo que gerencia o funcionamento do motor de forma eletrônica. Seu principal concorrente é o EC120 Colibri, da Eurocopter, além do Robinson R66, um derivado a turbina do R44 a pistão.

O novo helicóptero tem preço de pouco mais de US$ 1 milhão na versão básica.

Veja também: Bell apresenta sua visão do helicóptero do futuro