A exposição do Memphis Belle restaurado será aberta na mesma data em que completou sua última missão (USAF)

A exposição do Memphis Belle será aberta na mesma data de sua última missão (USAF)

Um dos símbolos mais reconhecidos da Segunda Guerra Mundial está passando por um profundo processo de restauração. O bombardeiro B-17F “Memphis Belle”, o primeiro das forças norte-americanas a completar 25 missões na Europa e retornar aos Estados Unidos, está sendo preparado para ser exposto no Museu Nacional da Força Aérea dos EUA (National Museum of the U.S. Air Force), em Dayton, Ohio, na data em que completa 75 anos de sua última missão contra a Alemanha nazista, realizada em 17 de maio de 1943.

Após décadas em exibição em Memphis, o avião histórico foi enviado a museu de Dayton em 2005, mesmo ano em que foram iniciados os trabalhos de conservação e restauração, incluindo tratamento contra corrosão e completado com todos os equipamentos originais que faltavam. A aeronave completa e restaurada para exposição estática será apresentada ao público em sua nova casa no próximo dia 17 de maio.

“O B-17F Memphis Belle é um ícone que representa as milhares de equipes de bombardeiros, mecânicos e outros que apoiaram as missões, cujo serviço e sacrifício ajudaram a vencer a Segunda Guerra Mundial”, disse Jeff Duford, diretor do Museu Nacional da Força Aérea dos EUA. “O trabalho está em andamento para mostrar a aeronave na Galeria da Segunda Guerra Mundial, e a exposição incluirá exibições interativas, raras filmagens de arquivo e muitos artefatos pessoais que nunca foram vistos antes por nossos visitantes”.

Quem foi Memphis Belle?

A prática de dar nomes aos aviões foi muito comum entre as tripulações americanas durante a Segunda Guerra Mundial. O nome “Memphis Belle” foi uma homenagem do tenente Robert Morgan, comandante da aeronave durante o conflito, a sua namorada na época, Margaret Polk, de Memphis, no estado do Tennessee.

O Memphis Belle foi o primeiro B-17 a completar 25 missões na Europa, em 1943 (USAF)

O Memphis Belle foi o primeiro B-17 a completar 25 missões na Europa, em 1943 (USAF)

Já o desenho que acompanha o nome, a pin-up “Petty girl”, foi criada pelo ilustrador George Petty, em 1941, e copiada da revista Esquire.

Após retornar aos EUA, em junho de 1943, a aeronave e sua tripulação realizaram uma turnê de três meses por todo o país, o que colaborou para a fama do avião em questão. Além disso, o bombardeiro foi tema do documentário “The Memphis Belle”, de 1944, e, em 1990, do filme “Memphis Belle – A Fortaleza Voadora”, considerado um dos melhores filmes sobre aviação.

Relacionamento não foi adiante…

Apesar da homenagem, o tenente Morgan não continuou o relacionamento com Margaret. Em 1944, promovido a major, Morgan partiu para sua segunda participação da Segunda Guerra Mundial, mas desta vez na frente do Pacífico, contra o Japão, no posto de co-piloto de bombardeiro B-29. Ainda neste mesmo ano foi promovido a comandante e nomeou sua aeronave como “Dauntless Dotty”, desta vez agraciando sua nova namorada, Dorothy Johnson, com quem se casou após o conflito.

Veja mais: Após 60 anos, antigo B-29 “Doc” volta a voar