O SolarStratos é projetado para alcançar até 25.000 metros de altitude (Divulgação)

O SolarStratos é projetado para alcançar até 25.000 metros de altitude (Divulgação)

A Suíça está se tornando a capital mundial dos aviões movidos a energia solar. Poucos meses após dois pilotos suíços terem completado a volta ao mundo com o Solar Impulse 2, outro aventureiro do país apresentou desta vez um avião solar concebido para voar até a estratosfera (até 50 mil metros de altitude). O novo projeto atende pelo nome SolarStratos.

A aeronave é um planador motorizado, no caso com propulsor elétrico. A energia é captada pelos 22 metros quadrados de painéis solares espalhados pelas superfícies do avião. “Nosso objetivo é demonstrar que a tecnologia atual nos oferece a possibilidade de fazer o mesmo ou ir além do que os combustíveis fósseis oferecem”, afirmou Raphael Domjan, um dos diretores da SolarXplorers, empresa responsável pelo projeto, e piloto de testes do avião solar.

O primeiro voo do SolarStratos está programado para fevereiro de 2017 e os testes da estratosfera serão iniciados no ano seguinte. Segundo os idealizadores, a aeronave é projetada para alcançar até 25.000 metros de altitude. Como comparação, aviões comerciais com motores a jato voam na faixa dos 12.000 metros.

“Viajar para a estratosfera levará aproximadamente cinco horas: 2,5 horas para chegar ao espaço, 15 minutos de luz do dia e estrelas e, em seguida, três horas para retornar à Terra”, disse Domjan. A estratosfera é considerada a “fronteira” entre a superfície terrestre e o espaço.

Para manter o peso da aeronave baixo, os construtores optaram por não pressurizar a cabine. Por conta disso, os dois tripulantes terão de vestir trajes pressurizados, semelhantes aos usados por astronautas, que também serão sustentados pelo sistema de energia solar.

“O projeto abre a porta para novos conhecimentos científicos, a um preço acessível, a exploração e o uso pacífico de nossa estratosfera”, disse Roland Loos, diretor-geral da SolarXplorers.

O projeto SolarStratos foi iniciado por Raphael Domjan em 2014, dois anos depois do mesmo ter navegado ao redor do mundo em um barco totalmente movido a energia solar.

Os primeiros testes de voo com a aeronave serão realizado a partir de 2017 (Divulgação)

Os primeiros testes de voo com a aeronave serão realizado a partir de 2017 (Divulgação)

Veja mais: Avião solar não-tripulado vai colher dados na Amazônia