A Lockheed Martin trabalha em versões tripuladas e remotamente tripuladas do SR72 (Divulgação)

A Lockheed Martin trabalha em versões tripuladas e remotamente tripuladas do SR72 (Divulgação)

Quatro depois de revelar os planos sobre o desenvolvimento de uma aeronave capaz de voar em velocidade hipersônica, a Lockheed Martin desta vez contou que avançou a tão ponto no projeto que em breve poderá realizar os primeiros testes de voo com um protótipo. A aeronave, chamada de SR-72, é proposta como o novo avião-espião de alta velocidade dos Estados Unidos, projetado para ocupar o espaço deixado pelo lendário SR-71 Blackbird.

A unidade de projetos secretos da fabricante norte-americana, a “Skunk Works”, trabalha no projeto do SR-72 desde o início dos anos 2000 e afirma já ter construído as partes básicas da aeronave. Contudo, a empresa divulga os progressos do projeto em pequenas doses.

“Não posso fornecer quaisquer cronogramas ou especificações sobre as capacidades. É algo muito sensível. Alguns de nossos adversários estão se movendo nesse mesmo sentido muito rapidamente e é importante manter o silêncio sobre o que está acontecendo”, disse Rob Weiss, vice-presidente executivo e gerente geral de programas de desenvolvimento avançado da Lockheed Martin, ao site Aviation Week.

“Estamos trabalhando duro para alcançar a capacidade hipersônica e entregá-las às mãos de nossos soldados o mais rápido possível “, contou Weiss. O novo avião-espião é um antigo pedido da Força Aérea dos EUA (USAF), que atualmente realiza operações de espionagem com satélites e o veterano jato de reconhecimento em grandes altitudes U-2.

O diretor da Lockheed Martin afirmou que as tecnologias necessárias para fazer o SR-72 voar vem passando por testes críticos desde 2013 e  que o primeiro demonstrador de voo ficará pronto em 2018. A aeronave terá porte semelhante ao do caça F-22 e será impulsionada pelo que o executivo chamou de “motor de ciclo combinado”.

Embora nenhuma detalhe sobre o funcionamento da aeronave tenha sido revelado, sabe-se que a Lockheed Martin e a Aerojet Rocketdyne, que fábrica motores para foguetes e mísseis, trabalham juntas desde 2006. Especula-se que as duas empresas estão desenvolvendo um propulsor scramjet que será capaz de levar uma aeronave a velocidades superiores a mach 6, o equivalente a 7.400 km/h.

Aposentado em 1998, o SR-71 detém até hoje o título de avião mais rápido do mundo - voava a 3.540 km/h (USAF)

Aposentado em 1998, o SR-71 detém até hoje o título de avião mais rápido do mundo – voava a 3.540 km/h (USAF)

Como afirmou Weiss, dependendo do progresso do protótipo de demonstração, uma versão em escala completa do SR-72 poderá se tornar realidade já em 2020. A aeronave é proposta em versões tripuladas e remotamente comandadas.

De acordo com o diretor da fabricante, a versão final da aeronave hipersônica terá dimensões semelhantes a do SR-71, um projeto da década de 1960 que até hoje detém o título de avião produzido em série mais rápido da história, com velocidade máxima de 3.540 km/h.

Veja mais: Conheça os aviões mais rápidos de todos os tempos