O ER-2 pode voar a 70 mil pés, mais que o dobro de um jato comercial (NASA)

O ER-2 pode voar a 70 mil pés, mais que o dobro de um jato comercial (NASA)

O “avião-espião” da Nasa, o modelo ER-2, fará uma nova parada técnica no Aeroporto Internacional do Recife/Guararapes, nesta quinta-feira (29). O pouso da aeronave, proveniente da Namíbia, na África, está programado para às 14h45. O aparelho, que passou pelo Brasil no final de agosto, fica em solo pernambucano até a próxima segunda-feira (3), quando parte com destino à Georgia, nos Estados Unidos.

Como informou a Infraero, o voo do ER-2 entre a Namíbia e o Brasil deve durar cerca de 8 horas, a uma velocidade de 750 km/h. Ainda nesta quinta-feira, estudantes da Escola Técnica Estadual Cícero Dias e do Colégio Madre de Deus vão participar de palestras com representantes da NASA e poderão conhecer o avião de perto, além de verificar o traje pressurizado utilizado pelo piloto.

O jato da NASA, usado em estudos ambientais em grandes altitudes, é a versão civil do clássico Lockheed U-2, clássica aeronave de espionagem da força aérea dos EUA (USAF), em operação desde a década de 1950.

Espião do clima

O ER-2 é a versão civil do Lockheed U-2, clássico “avião-espião” da força aérea dos EUA (USAF), em operação desde a década de 1950. A agência especial norte-americana utiliza a aeronave desde 1981, equipado com sensores e câmeras especiais para pesquisas sobre o meio ambiente e a camada de ozônio. A NASA possui atualmente duas dessas aeronaves.

ER-2 estacionado no pátio do aeroporto internacional de Recife (Infraero)

ER-2 estacionado no pátio do aeroporto internacional de Recife, no final de agosto (Infraero)

A principal característica do ER-2 é sua capacidade de alcançar grandes altitudes: a aeronave pode voar a mais de 70 mil pés, o equivalente a 21.300 metros, e mais que o dobro da altitude de cruzeiro de um jato comercial.

Nota do editor: Alguém já encontrou o ER-2 da NASA no Flightradar24?

Veja mais: Quando o Brasil quis comprar o supersônico Concorde