A Boeing calcula que a região da América Latina vai precisar de 51 mil novos pilotos (Airbus)

A Boeing calcula que a região da América Latina vai precisar de 51 mil novos pilotos até 2035 (Airbus)

A Boeing publicou nesta segunda-feira o estudo “2016 Pilot and Technician Outlook”, no qual prevê as necessidades da aviação comercial a longo prazo. Pela contas da fabricante, o setor vai precisar de cerca de 1,5 milhão de novos pilotos e mecânicos de aeronaves nos próximos 20 anos, além de mais 800 mil comissários de bordo.

Até 2035, a Boeing calcula que serão necessários no mundo todo aproximadamente 617 mil pilotos, 679 mil mecânicos e 814 mil tripulantes de cabine. Segundo o estudo da empresa, somente em 2015 a procura das companhias por esses profissionais subiu cerca de 11%.

A maior parte dessa demanda, com 40% de participação, será no mercado que compreende a região Ásia-Pacífico, alavancada principalmente pelo crescimento constante dos mercados na China e Índia. Em seguida vem a América do Norte, que prevê crescimento significativo com a reativação de voos para Cuba e novas rotas para o México, além de aumento nos voos para a Europa.

Na América Latina, como antecipa a Boeing, serão necessários cerca de 51 mil novos pilotos, 50 mil mecânicos e outros 51 mil comissários de bordo. Confira abaixo os números de cada região:

 Região  Pilotos  Mecânicos  Comissários
 Ásia-Pacífico  248.000  268.000  298.000
América do Norte  112.000  127.000  151.000
 Europa  104.000  118.000  169.000
 Oriente Médio  58.000  66.000  92.000
 América Latina  51.000  50.000  51.000
 África  22.000  24.000  27.000
 Rússia/CIS*  22.000  26.000  26.000

* “CIS” é o “Commonwealth of Independent States”, grupo composto por antigas nações da antiga União Soviética, como Cazaquistão, Turcomenistão, Armênia, entre outros, além da própria Rússia.

Fonte: Boeing