O B-29 'Doc' foi fabricado em 1945 e não voava desde 1956 (Doc's Friends)

O antigo bombardeiro Boeing B-29 ‘Doc’ foi fabricado em 1945 e não voava desde 1956 (Doc’s Friends)

Pela primeira vez desde 1956, o clássico bombardeiro Boeing B-29 “Doc” voltou a decolar. O primeiro voo da aeronave restaurada foi realizado com sucesso no último domingo (17). O teste aconteceu em Wichita, no estado do Kansas, na mesma onde cidade onde o modelo foi produzido, em 1945.

O voo da “Superfortaleza” durou cerca de sete minutos e retornou para a mesma pista. Nos próximos dias, a equipe responsável pelo avião, os “Doc’s Friends”, vai analisar os dados da viagem e executar uma revisão completa dos sistemas de voo e superfícies de controle.

Aposentado em 1956, o B-29 Doc ficou abandonado no deserto de Mojave até 1987, quando foi encontrado por Tony Mazzolini, um dos maiores restauradores de aeronaves clássicas dos EUA – confira aqui toda história do “Doc”. A restauração, no entanto, começou apenas em 1998. O processo, segundo os organizadores, envolveu centenas de pessoas e consumiu cerca de 350 mil horas de trabalho.

O retorno do Doc aconteceu pouco mais de um mês após a FAA, a autoridade de aviação federal dos EUA, emitir o certificado de voo para a antiga aeronave.

Superfortalezas preservadas

Atualmente, existem apenas 22 bombardeiros B-29 preservados em museus nos EUA, Inglaterra e Coreia do Sul, incluindo o modelo “Enola Gay”, responsável por lançar a primeira bomba nuclear sobre o Japão, exposto no Steven F. Udvar-Hazy Center, no estado de Virgínia.

Desses aparelhos, apenas dois tem condições de voar, o B-29 “Fifi”, que pertence a frota histórica do Commemorative Air Force, entidade americana dedicada a restauração de aeronaves clássicas, e agora o “Doc”.

Entre 1943 e 1946, a Boeing fabricou cerca de 3.970 unidades do B-29, que ficou conhecido como “Superfortress” (Superfortaleza), devido ao seu pesado armamento de auto-defesa. A aeronave foi empregada pelos EUA durante a Segunda Guerra Mundial, na campanha contra o Japão, e posteriormente na Guerra da Coreia. A USAF desativou o bombardeiro em 1960.

Veja mais: Davis-Monthan, o maior cemitério de aviões do mundo