O A380 “MSN4”, construído em 2005, será exposto no museu de Le Bourget, um dos maiores do mundo (Airbus)

O A380 “MSN4”, construído em 2005, será exposto no museu de Le Bourget, um dos maiores do mundo (Airbus)

A Airbus anunciou nesta terça-feira (7) a transferência de quatro aviões recentemente retirados da frota de teste para museus. São eles um A320, um A340 e dois A380, o maior avião de passageiros do mundo. As aeronaves serão divididas entre os Museus do Ar e Espaço, em Paris-Le Bourget, e o Aeroscopia, em Toulouse, ambos na França.

O primeiro avião a ser transferido será o A380 “MSN4”, construído em 2005, que chegará em Le Bourget no dia 14 de fevereiro e, segundo a fabricante, em breve será preparado para exposição ao público.

As outras três aeronaves serão enviadas ao Aeroscopia nos próximos dois anos, enquanto uma nova ala de exposição é construída no museu em Toulouse, no mesmo local onde fica a linha de montagem final da Airbus.

Como explica a fabricante, as aeronaves de teste retiradas de serviço ajudaram no desenvolvimento da empresa nos últimos 30 anos.

O A320 destinado ao museu em Toulouse é o modelo “MSN1”, o primeiro fabricado pela Airbus, em 1987, enquanto o A340 é o protótipo “MSN360”, primeiro exemplar do A340-600, o maior jato dessa família, produzido em 2001.

O A320 MSN1 é o primeiro dos mais de 7.400 jatos dessa série já construídos (Airbus)

O MSN1 é o primeiro dos mais de 7.400 jatos A320 já construídos (Airbus)

Já o A380 destinado ao Aeroscopia, também construído em 2005, é o exemplar “MSN2”, originalmente encomendado como avião executivo pelo reino da Arábia Saudita e posteriormente cancelado. Com a alteração do pedido e sem um novo cliente, a aeronave foi aproveitada pela Airbus em testes de voo.

Com a dispensa de dois A380, a Airbus agora conta com apenas um único A380 para testes, sinal de que a empresa não prevê grandes evoluções para o modelo nos próximos anos. A fabricante europeia utilizou cinco aeronaves para o desenvolvimento do “Superjumbo”, sendo que dois deles foram convertidos em modelos comerciais, hoje em operação com a Emirates Airlines.

Veja mais: Conheça o Memorial Aeroespacial Brasileiro